Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Instituições lançam manifesto contra projeto que pede a extinção da Uerj

Proposta que sugere o fim da universidade e a transferência de patrimônio para a iniciativa privada foi publicada no Diário Oficial na última quinta (19)

Por Luiza Maia Atualizado em 24 ago 2021, 13h36 - Publicado em 24 ago 2021, 13h28

Em resposta ao projeto de lei que prevê a extinção da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), representantes de instituições de ensino e pesquisa do estado divulgaram um manifesto, nesta segunda (23), contra a proposta.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

“A Uerj ocupa um lugar de destaque na educação de jovens e na produção científica nacional, tendo sido pioneira na introdução do sistema de cotas entre as universidades brasileiras, o que contribuiu para a aceleração do processo de inclusão no ambiente universitário”, diz o documento.

+ Covid-19: Rio inicia terceira dose para idosos em setembro

Assinada por pelo menos dez reitores, a nota ainda declara que a publicação do PL, “no contexto de uma guerra cultural contra as universidades e a Ciência”, se trata de “um ataque a toda a comunidade acadêmica e científica do Rio, que está mobilizada para a defesa da universidade pública, gratuita, referenciada socialmente e de excelência”.

Publicado no Diário Oficial do Rio na última quinta (19), o projeto do deputado Anderson Moraes (PSL) sugere o fim da universidade e a transferência do seu patrimônio e alunos para a iniciativa privada.

Após a divulgação, o reitor da universidade, Ricardo Lodi Ribeiro, também divulgou uma nova nota de repúdio à iniciativa.

Continua após a publicidade

“A proposta não merecerá apoio da esmagadora maioria da Alerj, que reconhece a importância da Uerj para a população fluminense e brasileira, para a educação, a ciência e a tecnologia de nosso país, constituindo-se no maior projeto de inclusão social e na maior agência de políticas públicas do nosso estado”, afirma o texto.

+ Lembra do especial de Natal do Porta dos Fundos? Justiça tem nova decisão

A ação mobilizou também outras entidades científicas e de ensino do país. Na última sexta (20), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) afirmou em nota que a universidade é peça fundamental para o desenvolvimento do estado, além de relembrar a Uerj como a primeira instituição de ensino superior a implantar políticas de ação afirmativa para os estudantes mais vulneráveis.

Já o Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação das Instituições de Ensino Superior Brasileiras (Foprop) ressaltou que “o projeto de desmantelamento deste patrimônio da sociedade fluminense e brasileira é uma proposta por demais estapafúrdia” e afirma que a Uerj é a única universidade estadual na lista das instituições que mais produzem ciência no país.

+ ‘Vou entrar em sinagogas e matar todos’, ameaça hacker em reza virtual

Em sessão na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o presidente André Ceciliano (PT) reafirmou que não colocará o projeto em debate durante a sua gestão.

Autor do PL, o deputado Anderson Moraes tem o nome envolvido também em outras polêmicas, como uma proposta que gerou anulação do decreto da Prefeitura do Rio de medidas restritivas contra a Covid-19 em abril. Em 2020, contas no Facebook vinculadas ao gabinete do parlamentar foram removidas pela plataforma devido à criação de perfis falsos.

 

Continua após a publicidade
Publicidade