Clique e assine com até 65% de desconto

Grupo de mensagens de milícia carioca tinha 500 membros, diz polícia

Criminosos atuavam em Santa Cruz, zona oeste do Rio

Por Agência Brasil 14 jul 2020, 19h12

Uma investigação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil descobriu que uma milícia que atua em Santa Cruz, na Zona Oeste do do Rio de Janeiro, mantinha um grupo de mensagens instantâneas para alertar membros da quadrilha sobre operações policiais. O grupo virtual tinha cerca de 500 participantes.

Policiais prenderam nesta segunda (13) dois suspeitos de integrar a organização criminosa. Eles eram os responsáveis por administrar o grupo de mensagens por celular, que avisava, em tempo real, ao grupo criminoso sobre a movimentação da polícia na região.

+Coronavírus: Carnaval no Sambódromo não tem previsão de data, diz Liesa

Eles foram presos em flagrante quando tentavam informar ao grupo sobre uma ação policial e responderão por associação criminosa na forma de milícia.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Tirol

Em outra operação, na noite de ontem, a Delegacia de Homicídios da Capital prendeu um suspeito de chefiar a milícia que atua na comunidade Tirol, em Jacarepaguá, também na zona oeste da cidade.

+Coronavírus: mapa criado por carioca mostra casos por CEP; veja na sua rua

O grupo é acusado da prática de homicídios, extorsões a moradores e comerciantes e de cobrança por serviços como TV a cabo clandestina e venda ilegal de gás.

Continua após a publicidade
Publicidade