Continua após publicidade

Com casos 20 vezes acima do esperado, Rio decreta epidemia de dengue

Desde janeiro, 49.405 pessoas foram infectadas; estado recebe mais de 230 mil doses de vacina contra a doença nesta quinta (22)

Por Da Redação
22 fev 2024, 13h24

Com 49.405 casos notificados, cerca de 308 por 100 mil habitantes, e quatro óbitos (dois na capital, um em Itatiaia e um em Mangaratiba), o governo do estado decretou epidemia de dengue nesta quarta (21). O número de notificações é 20 vezes acima do esperado, e já alcança os 51.501 registrados em 2023 inteiro. Outra ação anunciada foi a criação do Observatório Dengue RJ, que utiliza tecnologia de ponta e uma equipe técnica de plantão no Centro de Inteligência em Saúde (CIS), dedicada a monitorar, apoiar e dar respostas rápidas às emergências relacionadas à dengue nos 92 municípios do estado. As medidas fazem parte da segunda etapa do Plano Estadual de Combate à Dengue.

+  Escola para todos: rede pública atrai estudantes de colégios particulares

A pesar de o estado estar no nível 2 de ativação do plano de contingência (risco iminente), algumas regiões, como a Metropolitana I (capital e Baixada Fluminense) tiveram crescimento maior do que o esperado por três semanas consecutivas e atingiram o nível 3 (epidemia) por isso o governador decidiu antecipar decisão do decreto de epidemia. Com recorde histórico de internações, a capital já tinha decretado epidemia por conta da dengue.

Nesta quinta (22) chegou ao estado o primeiro lote das vacinas contra a dengue enviado pelo Ministério da Saúde. São 231.928 doses, que já estão na Central Geral de Armazenamento da Saúde, em Niterói. O público alvo são adolescentes entre 10 e 14 anos, da Região Metropolitana I, que inclui a capital e municípios da Baixada Fluminense. A previsão é distribui-las entre a capital e os municípios determinados pelo Ministério da Saúde até as 12h desta sexta (23). A data para o início da imunização ainda não foi definida.

“O decreto agiliza a compra de insumos e diminui a burocracia quando temos necessidades imediatas”, disse o governador, ao anunciar a decretação da epidemia. Segundo ele, em mais de 60 municípios do estado há aumento dos casos da dengue por três semanas consecutivas. Entre as medidas adotadas pelo estado, a secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello, destacou que equipes das 27 UPAs da rede estadual de saúde serão reforçadas com médicos e enfermeiros dedicados ao atendimento dos pacientes com dengue. Outra previsão é a conversão de 160 leitos de outras unidades de referência para atendimento, caso seja necessário. Já para as gestantes, o Instituto Estadual de Infectologia São Sebastião é a unidade de referência no atendimento à dengue no Rio de Janeiro e segue recebendo grávidas de todo o estado.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A SES-RJ também está ampliando as salas de hidratação em 11 UPAs estaduais. E montou polos de hidratação em 11 municípios, para onde enviou insumos, medicamentos e equipamentos. A instalação do ponto é feita de acordo com a demanda dos municípios. Há mais 12 pedidos em análise pela secretaria, que possui capacidade para acomodar 80 polos de hidratação em todas as regiões do estado.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.