Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Rio fecha escolas, shoppings e restaurantes durante feriadão

Entre sexta (26) e 4 de abril, Rio e Niterói só permitirão o funcionamento de serviços essenciais

Por Carolina Barbosa Atualizado em 22 mar 2021, 18h57 - Publicado em 22 mar 2021, 18h08

Em coletiva nesta segunda (22) no Teatro Popular Oscar Niemeyer, os prefeitos do Rio, Eduardo Paes (DEM), e de Niterói, Axel Grael (PDT), confirmaram que as duas cidades vão adotar regras de isolamento ainda mais rigorosas para conter a Covid-19 entre 26 de março e 4 de abril, o “feriadão”. Serão dez dias de vigência dos novos decretos, que só autorizam a funcionar os serviços essenciais.

“Entendemos os aspectos sociais e econômicos. Mas eu e o prefeito Axel (Grael) tomamos as decisões baseados na ciência. É muito difícil tomar uma decisão dessas sem que haja uma coesão metropolitana. Buscamos incessantemente, embora tenhamos posições divergentes, uma coesão para termos informações claras(…) Infelizmente, não foi possível tomar medidas integradas. O fundamental é preservar vidas, sem alarmismo”, disse Paes.

+Covid-19: profissionais de saúde têm medo e exaustão, diz Fiocruz

Novo decreto determina:

– Suspensão do funcionamento presencial de creches, escolas e universidades.
– Suspensão do atendimento presencial em atividades não essenciais.
– Teletrabalho para servidores e empregados públicos (com exceção de serviços essenciais) e incentivo ao teletrabalho em empresas e outros serviços privados.
– Suspensão de cirurgias e procedimentos eletivos.

Estão proibidos: 

A permanência de pessoas em vias públicas das 23h às 5h.

O funcionamento de:

– Museus, galerias, bibliotecas, cinemas, teatros, casas de espetáculo e salas de apresentação.
– Boates, danceterias, salões de dança, casa de festa e outros.
– Salões de cabeleireiro, barbearias, institutos de beleza e estética.
– Clubes sociais e esportivos e serviços de lazer.
– Parques de diversões e circos.

-Shoppings.

-Lojas de comércio não essencial.

+MAR, MAM e Museu do Amanhã suspendem visitações por três semanas

Estão suspensos

O atendimento presencial em:

– Bares, lanchonetes, restaurantes e congêneres.

– Quiosques em geral, incluindo-se os da orla marítima.

– O funcionamento presencial de creches, estabelecimentos de educação infantil, estabelecimentos de ensino fundamental, médio e superior, estabelecimentos de esportes, música, arte e cultura, cursos de idiomas, cursos livres preparatórios e profissionalizantes  e centros de treinamento e de formação de condutores.

– Feiras, exposições, congressos e seminários.

– Concessão de autorizações para eventos e atividades transitórias em áreas públicas e particulares.

Podem funcionar

– Lanchonetes, bares e restaurantes: exclusivamente para entregas em domicílio e drive-thru, e retirada no local, sendo proibido o consumo no local e a permanência de público no interior do estabelecimento.

Continua após a publicidade

– Serviços de comércio de alimentos e bebidas, como supermercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, lojas de conveniência e outros, sendo proibido o consumo no local e recomendada a ampliação do horário de funcionamento.

– Farmácias e comércio de equipamentos médicos e suplementares, serviços assistenciais de saúde e óticas.

– Assistência veterinária, serviços e comércio de suprimentos para animais.

– Comércio de materiais de construção, ferragens e congêneres.

– Estabelecimentos bancários e lotéricos, instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários e serviço postal.

– Comércio atacadista e a cadeia de abastecimento e logística.

– Feiras livres.

– Bancas de jornal, sendo proibida a exposição à venda e a comercialização de bebidas alcoólicas.

– Comércio de combustível e gás.

– Serviço de mecânica e comércio de autopeças e acessórios para veículos e bicicletas, além de serviços para locação de veículos.

– Hotelaria e hospedagem, com o funcionamento de serviços de alimentação restrito aos hóspedes.

– Transporte de passageiros.

– Atividades industriais e obras de construção civil.

– Serviços de entrega em domicílio.

– Serviços de telecomunicações, teleatendimento e call center.

– Serviços funerários.

Nesta segunda (22), mais cedo, os comitês científicos do Rio e de Niterói haviam recomendado o fechamento total de todas as atividades não essenciais nas duas cidades para o avanço do novo coronavírus. Paes e Grael se reuniram com especialistas para definir novas medidas restritivas em reunião. Logo após, Paes postou no Twitter: “Aqui ninguém toma decisão de ‘orelhada’ ou por achismos”. Depois, ele postou referindo-se ao governador em exercício Cláudio Castro: “Castrofolia! A micareta do governador. Definitivamente ele não entendeu nada do objetivo de certas medidas”.

+Prefeitos do Rio e de Niterói discutem novas medidas de combate à Covid-19

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade