Clique e assine por apenas 4,90/mês

Big Brother do corona: Rio terá mais de 12 mil câmeras de segurança

Convênio entre prefeitura e PRF combaterá crime organizado na capital

Por Agência Brasil - 17 abr 2020, 13h34

A Prefeitura do Rio e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fecharam ontem (16) uma parceria no projeto Alerta Brasil, para o uso de câmeras da administração municipal no combate ao crime organizado. A cidade passa a fazer parte do Sistema Nacional de Veículos, ampliando a fiscalização da Guarda Municipal.

Para o prefeito Marcelo Crivella, a interligação dos sistemas será fundamental para atacar o roubo de cargas, especialmente, na região da Pavuna, na zona norte e uma das entradas do Rio, e ainda o tráfico de drogas e armas no município. Ele acrescentou que o sistema da prefeitura vai ser reforçado com mais 12 mil câmeras. Atualmente o trabalho é feito por cerca de 2 mil.

+Coronavírus: costureiras vão confeccionar 1,8 milhão de máscaras

“Tenho certeza que a Polícia Rodoviária Federal, que já é campeã no Rio de Janeiro na apreensão de toneladas e toneladas de drogas, ano passado mais de 20 toneladas de drogas e de 250 fuzis, agora, então, com todas essas câmeras ligadas vai ter uma performance ainda mais espetacular”, observou Crivella.

Continua após a publicidade

+Baía de Guanabara tem águas cristalinas e tartarugas durante quarentena

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Silvinei Vasques, disse que haverá muito mais segurança na capital, porque será feito um controle diário e online da movimentação de criminosos, na chegada de marginais de outros estados para o Rio, do transporte de drogas e de armas, fazendo uma integração a municípios da Baixada Fluminense.

+Coronavírus: drone com alto-falante vai sobrevoar a cidade

“É a primeira capital que assina um convênio com a Polícia Rodoviária Federal desse porte e com certeza nos próximos dias nós vamos aumentar e, muito, as nossas apreensões de drogas”, disse.

Continua após a publicidade

Em 2019, foram apreendidos nas rodovias federais no Rio de Janeiro, 24 toneladas de drogas e mais de 250 fuzis, com a prisão ainda de 5 mil criminosos.

+ Para assinar o conteúdo digital de VEJA RIO, clique aqui

Silvinei Vasques informou que para começar a operação é preciso a publicação no Diário Oficial e a conclusão dos serviços dos técnicos para a interligação dos sistemas. “Acredito que no prazo de alguns dias, talvez em 15 ou 30 dias já esteja operando”, avaliou.

O superintendente informou que o programa atual atende as ações da PRF com as polícias Federal, Civil e Militar, cada uma com sua atribuição. Mas se já estivesse em funcionamento na capital poderia ajudar também no monitoramento da chegada de equipamentos que são destinados ao combate à pandemia do novo coronavirus.

Continua após a publicidade

“Se o sistema estivesse interligado, o prefeito acompanharia uma carga desde a saída do avião até a chegada no município. Ele acompanha o deslocamento de veículos em todo Brasil e agora será aprofundada para dentro do município. Ele é voltado ao combate o crime organizado mas também pode ser utilizado em catástrofes e, nesse caso agora, na pandemia de saúde a gente consegue acompanhar. As cargas chegando em Guarulhos ou no Galeão estão sendo escoltadas pela Polícia Rodoviária Federal para dar celeridade na chegada” contou.

Equipamentos

Hoje também, o prefeito apresentou equipamentos médicos chegados da China para o hospital de campanha no Riocentro. Segundo Crivella, com o novo tomógrafo que vai funcionar na unidade, será possível diagnosticar a infecção pelo novo cornovairus em até dois minutos. “Vai ser possível fazer centenas por dia”, completou.

Além disso, foram recebidas autoclaves, que alcançam altas temperaturas e são os melhores instrumentos para higienizar os respiradores; material cirúrgico; monitores que são fundamentais no trabalho de combate ao novo coronavírus e lavadoras.

A Prefeitura do Rio tem ainda no seu depósito mais cinco tomógrafos. Um deles, será doado ao Hospital do Câncer em uma parceria com o governo municipal. “Esses tomógrafos com 64 e 128 canais conseguem detectar câncer bem no início. O que dá uma vantagem muito enorme no tratamento. A mesma coisa aqui. Todo mundo sabe que uma pessoa tira uma tomografia de um pulmão e se começa a ver a ação do coronavirus, as chances que ela tem de se recuperar são enormes”, disse.

Continua após a publicidade

Segundo o prefeito, os outros tomógrafos serão instalados nos próximos dias nas policlínicas de Del Castilho, de Santa Cruz e de Bangu. “Com isso tenho a impressão de que vamos estar muito bem monitorados. O Brasil inteiro está com problema de testes, mas esses tomógrafos substituem muito melhor. Deu sintoma, deu febre, dificuldade de respiração, bota no tomógrafo, faz uma chapa do pulmão e aí a gente já tem uma ideia espetacular de como atacar a doença”, completou.

Crivella adiantou que entre os dias 22 e 27 chegarão, por navio, mais 10 tomógrafos e 100 carrinhos de anestesia. Há ainda a previsão de chegar da China 20 respiradores e 40 monitores. O prefeito quer incluir neste transporte feito pela Vale mais quatro toneladas de equipamentos, incluindo aí 20 respiradores mecânicos e 40 monitores.

“O governo federal nos garantiu que no dia 27 de abril vai mandar um avião para trazer 106 toneladas, aí vamos ter 300 respiradores. É bom lembrar que esses respiradores foram comprados pelo município há US$ 12 mil cada um quando o dólar estava a R$ 4 e para pagar em cinco anos. Hoje, um respirador desse, o dólar está US$ 5,20 ou US$ 5,30 está sendo vendido a R$ 200 mil, com pagamento antecipado”, revelou.

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Publicidade