Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Coronavírus: costureiras vão confeccionar 1,8 milhão de máscaras

Entre abril e maio, o equipamento será destinado a profissionais de serviços essenciais

Por Bruna Motta 16 abr 2020, 17h33

Serão distribuídas nos meses de abril e maio 1,8 milhão de máscaras para profissionais dos serviços essências que precisam ir às ruas durante a pandemia. A Prefeitura do Rio, por meio das secretarias municipais de Cultura e de Assistência Social e Direitos Humanos, investiu 4 milhões na compra de material e remuneração dos trabalhadores. As máscaras serão confeccionadas por 500 costureiras de 25 comunidades do Rio e cerca de 100 artesãs da FeirArtes, que também é parceira no projeto.

Afim de evitar aglomerações, as máscaras serão produzidas nas próprias casas dos trabalhadores. Todo material utilizado seguirá o padrão estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e passará pelo processo de esterilização. Cerca de 4 mil máscaras já foram confeccionadas e estão passando por um processo de esterilização, antes de serem embaladas e distribuídas.

Embora a máscara de tecido não barre 100% da carga de vírus exalada ou inalada no ambiente, ela pode bloquear entre 60% a 70%. Haverá também distribuição de máscaras em estações de trem, metrô e BRT para as pessoas que precisam sair para trabalhar, informou a prefeitura, por meio de sua assessoria de imprensa.

+ Proteger, salvar, amar: Moda faz campanha coletiva pelo uso de máscaras

+ Para assinar o conteúdo digital de VEJA RIO, clique aqui

+Covid-19: marcas de beleza cariocas lançam álcool em gel

Continua após a publicidade
Publicidade