Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Orgulho LGBT+: Candybloco transcende o Carnaval e vira negócio social

Missão da recém-lançada TriboQ é conectar pessoas LGBTQI+ a empresas e organizações comprometidas com a premissa da diversidade

Por Marcela Capobianco Atualizado em 28 jun 2021, 12h58 - Publicado em 28 jun 2021, 12h54

Nascido em 2017, transformando hits de divas do pop em suingadas músicas de Carnaval, o Candybloco rapidamente virou um sucesso entre o público LGBTQIAP+.

+ Mostra no Instituto Moreira Salles celebra a arte da fotografia

Com a folia e os grandes eventos com aglomeração adormecidos, os criadores do projeto resolveram arregaçar as mangas e ir muito além da festa de Momo. Foi preciso repensar a identidade e encontrar uma nova expressão, focada em ações de cunho político, social e econômico.

Neste dia do Orgulho LGBT+, Beni Falcone, fundador do bloco, e o sócio Mickael Noah lançam a TriboQ, cuja missão é conectar pessoas LGBTQI+ a empresas e organizações comprometidas com a premissa da diversidade, gerando oportunidades de emprego e acolhimento.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

“Ficou nítida a necessidade de fazermos mais pela nossa tribo, pelas dezenas de milhares de pessoas que fazem parte desse universo que criamos junto a eles”, conta Beni Falcone, criador e vocalista do bloco.

Continua após a publicidade

+ Cinco curiosidades sobre Luca, nova animação da Disney

View this post on Instagram

A post shared by Candybloco agora é TRIBOQ! (@triboq)

+ Nise da Silveira ganha homenagem em exposição no CCBB

Os interessados em se inscrever na plataforma devem acompanhar as redes da TriboQ para ter acesso às novidades.

Continua após a publicidade
Publicidade