Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Caso Henry: Dr. Jairinho tem mandato cassado na Câmara do Rio

"Estamos vendo a Justiça sendo feita", diz o pai do menino Henry Borel. O ex-vereador, acusado de matar o enteado, perde os direitos políticos por oito anos

Por Agência Brasil 1 jul 2021, 13h26

O plenário da Câmara Municipal do Rio cassou, por unanimidade, o mandato de Jairo Santos Souza Júnior, conhecido como Dr. Jarinho. O ex-vereador é acusado pela morte do enteado, o menino Henry Borel, de 4 anos.

+ “Meu filho nunca será esquecido”, diz o pai do menino Henry Borel

É a primeira vez na história que um parlamentar é cassado na Câmara carioca. Dr. Jairinho está com a prisão preventiva decretada pela Justiça desde o dia 8 de abril, junto com a mãe de Henry, Monique Medeiros.

O pai do menino, Leniel Borel, mandou um comunicado que foi lido pelo vereador Tarcísio Mota (PSOL), logo após a decisão da Casa. “Estamos vendo a Justiça sendo feita. A quebra do decoro parlamentar e a respectiva cassação desse monstro é uma resposta à sociedade, devido ao covarde assassinato do meu filhinho e as demais acusações claras contra esse assassino”.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A votação foi presencial e por meio de videoconferência. Dos 50 vereadores, 49 votaram pela cassação do mandato parlamentar, que estava na Câmara há quatro legislaturas consecutivas. O vereador Dr. Gilberto (PTC) não participou da votação, porque está de licença.

Continua após a publicidade

“Por decisão unânime, após indícios suficientes de envolvimento na morte do menino Henry, a peça conclui a presença de elementos suficientes para apurar a conduta incompatível com decoro parlamentar. Não restou alternativa a esta Casa que não fosse à instauração para investigar a quebra de decoro”, avaliou o relator do processo na Comissão de ética e Decoro Parlamentar, o vereador Luiz Ramos Filho (PMN).

+ Prefeitura de Niterói vai apoiar restauro de painel de Paulo Gustavo

Ramos Filho, ao ler o relatório, disse que o pedido de cassação foi baseado nos resultados da perícia técnica e depoimentos prestados à polícia. “Jairinho responde por homicídio triplamente qualificado, tortura e agressões contra o menino Henry”.

O advogado Berilo Martins tinha duas horas para falar sobre seu cliente, mas não usou o tempo todo dedicado à defesa do Dr. Jairinho. Ele traçou um perfil do político dizendo que ele sempre foi uma pessoa dócil, gentil e amável. Citou as reeleições do parlamentar e que “na Zona Oeste, seu reduto eleitoral, como os bairros de Bangu, Realengo e Padre Miguel, ele ainda tem crédito com a população”.

+ Aceleraaaa, Paes: calendário de vacinação é antecipado mais uma vez

O substituto de Dr. Jairinho na Câmara dos Vereadores é Marcelo Diniz Anastácio (Solidariedade). Ele foi presidente da Associação de Moradores da Muzema, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, quando dois prédios na comunidade desabaram no dia 12 de abril de 2019, matando 24 pessoas.

Continua após a publicidade
Publicidade