Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“Me pegaram para Cristo”, diz Simone, sobre Então, é Natal

Música do repertório natalino irrita muita gente; para cantora, brasileiros só valorizam a versão original, de John Lennon: 'Por que ele pode e eu não?'

Por Cleo Guimarães Atualizado em 18 dez 2020, 10h16 - Publicado em 18 dez 2020, 07h00

Ter nascido na madrugada do dia 25 de dezembro fez com que a cantora Simone cultivasse uma relação ambígua com o Natal. Por um lado, diz, “é difícil disputar a atenção com o outro aniversariante do dia”. De outro, a data lhe deu uma de suas grandes alegrias: o álbum de canções natalinas lançado em 1995, que vendeu 1,5 milhão de CDs em dois meses. Faz parte do repertório a onipresente Então, É Natal, que, de tanto ser tocada, despertou irritação em muita gente. Simone conversou com VEJA RIO:

Fábio Porchat: Papo de Segunda especial de verão será ao ar livre

Então, É Natal dá origem todo ano a inúmeras piadas e memes. Como lida com isso? É um grupo pequeno e covarde que me ataca. Me pegaram para Cristo.

Carol Solberg: atleta do vôlei de praia está em busca de patrocínio

Quem critica desconhece a origem da música? Com certeza. Pouca gente sabe que ela se chama Happy Xmas (War Is Over) e foi composta pelo John Lennon. Com ele, todo mundo acha linda. Se John Lennon pode, eu não posso por quê? Me respeitem. Tenho 47 anos de carreira.

As resoluções de Zeca Pagodinho, Alcione, Grazi, Taís Araujo e Ludmilla para 2021

Você faz lives desde abril e agora prepara uma especial de Natal. Como vai ser? O nome devia ser Agradecer, porque essas transmissões ao vivo que venho fazendo estão sendo a minha salvação. Elas me ajudam a viver, a levar mensagens, a me conectar.

Continua após a publicidade
Publicidade