Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Carol Solberg: atleta do vôlei de praia está em busca de patrocínio

'Sei que existem empresas que apoiam quem se posiciona', diz a jogadora, absolvida em novembro pelo STJD após grito de “Fora, Bolsonaro” na TV

Por Cleo Guimarães Atualizado em 18 dez 2020, 10h14 - Publicado em 18 dez 2020, 07h00

Os treinos de Carol Solberg na faixa de areia em frente à Rua Garcia D’Ávila, em Ipanema, recomeçam na primeira segunda-feira de janeiro — sem patrocínio. Absolvida em novembro pelo STJD do “crime” de ter gritado “Fora, Bolsonaro” ao vivo na TV, a atleta do vôlei de praia diz ter consciência de que não será fácil arrumar quem a apoie financeiramente. “Sei que fechei portas com as marcas que não querem se envolver com política”, diz.

“Me pegaram para Cristo”, diz Simone, sobre Então, é Natal

Fábio Porchat: Papo de Segunda especial de verão será ao ar livre

“Mas tem o outro lado: existem empresas que apoiam quem se posiciona”. Carol, 33 anos, paga do próprio bolso os cinco profissionais que fazem parte da sua equipe e diz que joga “com a corda no pescoço, matando um leão por dia”. Pode voltar a se manifestar, mas não se sente obrigada: “O que desejo é ter a liberdade de falar o que eu quiser, quando eu quiser”.

As resoluções de Zeca Pagodinho, Alcione, Grazi, Taís Araujo e Ludmilla para 2021

Continua após a publicidade
Publicidade