Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Fernanda Torres rejeitou a vacina AstraZeneca e voltou atrás; entenda

Atriz explicou que havia procurado postos com outro imunizante por causa do risco de trombose; 'Fui como qualquer cidadão, não tive informação privilegiada'

Por Da Redação 15 jun 2021, 12h25

Fernanda Torres se pronunciou nesta segunda (14) sobre a rejeição à AstraZeneca: ao ser informada que esta era a única vacina disponível no hospital onde estava, deu meia volta e foi em busca de um local onde houvesse outro imunizante. Fernanda recapitulou e acabou sendo vacinada com a AstraZeneca mesmo – num longo post, ela explicou os motivos que a levaram a tentar evitá-la, e por que mudou de ideia. O assunto gerou debate nas redes, levando a atriz a se manifestar e a defender o imunizante produzido pela Fiocruz.

Cinco cuidados depois de se recuperar de Covid-19

“Eu tive Covid em dezembro, uma doença insidiosa, que começa quando o quadro viral termina. Catorze dias depois da infecção, tive uma alta súbita do D-Dímero. Tomei anticoagulante, o marcador baixou, mas até hoje não retornou ao nível normal. Tenho casos de trombose na família e, mesmo sabendo do risco ínfimo, mais do que ínfimo, da vacina da AstraZeneca, procurei pela Pfizer nos postos, cuja chegada ao Brasil havia sido anunciada nos jornais dois dias antes da minha data de vacinação”, escreveu.

Carnaval em Paquetá: moradores da ilha se revoltam com micareta de Paes

A atriz enfatizou que não deu nenhum tipo de “carteirada” nem usou de sua influência para tentar escolher a vacina. Ela também fez um mea culpa ao comentar que, ao se tornar pública, sua recusa acabou contribuindo “para alimentar o negacionismo, criando uma desconfiança infundada em torno da AstraZeneca, uma vacina extremamente eficaz e segura”. Veja o post:

View this post on Instagram

A post shared by Fernanda Torres (@oficialfernandatorres)

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade