Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Felipe Neto é intimado a depor após chamar Bolsonaro de ‘genocida’

'Ele se recusou a comprar a vacina, é contra o uso de máscara; de que outra forma eu poderia chamá-lo? De colegão? De amigo do povo?', pergunta o youtuber

Por Da Redação Atualizado em 16 mar 2021, 12h56 - Publicado em 16 mar 2021, 12h47

Felipe Neto foi intimado nesta segunda (15) a comparecer à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática para responder por crime contra a segurança nacional. Criada em 1983, durante a ditadura militar, a LSN lista crimes contra a ordem política e social e segue em vigor, apesar de ter sido pouco evocada desde a redemocratização. Neto atribuiu a intimação ao fato de ter chamado Jair Bolsonaro de “genocida” por sua gestão na pandemia da Covid-19, em meio às mais de 278 mil mortes causadas pelo vírus no país.

Coronavírus: praias cheias podem fazer Rio endurecer medidas restritivas

Em nota, a Polícia Civil confirmou: Felipe foi intimado depois que o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) protocolou uma petição por supostos crimes de difamação praticados pelo youtuber contra o seu pai. De fato, Carlos, mais conhecido como “Carluxo”, compartilhou em suas redes, na última quinta (11), a queixa-crime apresentada contra Felipe Neto em que o acusa de caluniar o presidente.

Margareth Dalcolmo: “Jogos Olímpicos deveriam ter sido suspensos”

Quem também pode ser intimada é a atriz Bruna Marquezine. Na semana passada, Carlos anunciou, no mesmo post, que havia encaminhado uma queixa-crime contra a atriz, “por supostos crimes contra o Presidente da República”. Ele citou então um trecho do artigo 138 do Código Penal, referente ao crime de calúnia. Bruna não se manifestou, já Felipe partiu para o contra-ataque (leia aqui Carlos Bolsonaro abre queixa-crime contra Bruna Marquezine e Felipe Neto.)

Na tarde desta segunda (15), o youtuber contou, quase em tempo real, o que havia acontecido. “Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação para que eu compareça e responda por crime contra segurança nacional porque chamei Jair Bolsonaro de genocida. Carlos Bolsonaro foi no mesmo delegado que me indiciou por corrupção de menores. Sim, é isso mesmo”, escreveu Felipe no Twitter, logo após ser intimado.

Ah, o amor: os detalhes da lua de mel de Enzo e Bruna Marquezine

Ele fez referência a Pablo da Costa Sartori. O delegado é o mesmo que, em 2020, abriu denúncia contra Felipe Neto por supostamente veicular vídeos com tutoriais sobre sexo em seu canal no YouTube, voltado a adolescentes.

Horas depois, Felipe se pronunciou, num vídeo de pouco mais de três minutos. “Fiquei espantado quando vi que estava sendo acusado de crime contra a segurança nacional”, disse. “O presidente chamou a pandemia de gripezinha, incentivou todos a saírem de casa sem máscara, como se nada estivesse acontecendo”. Veja o vídeo:

 

Continua após a publicidade
Publicidade