DIVERSÃO

Cinco programas imperdíveis para o fim de semana

Confira a seleção especial de VEJA RIO para deixar seu fim de semana ainda mais animado

- Atualizado em

recomenda-cinema.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Na 22ª edição, o segundo maior festival internacional de animação do planeta - atrás apenas de seu equivalente realizado em Annecy, na França - vai exibir 418 filmes de 47 países. Aída Queiroz, Cesar Coelho, Lea Zagury e Marcos Magalhães, os curadores, selecionaram as produções entre 1?928 candidatos, oriundos de países tão distintos quanto Alemanha, França (duas escolas fortes no gênero), Irã, Índia e Croácia. A programação ocupa o Centro Cultural Light e o Espaço Itaú de Cinema a partir de sexta (25). Oi Futuro Ipanema e Fundição Progresso, o quartel-general do evento, com três salas de exibição, entram no circuito nos dias 27 e 29, respectivamente. Os primeiros momentos da mostra, que fica em cartaz até 3 de agosto, já trazem preciosidades como Padre, do argentino Santiago Bou Grasso, incluído na sessão de sexta (25), às 21h, no Espaço Itaú 1. Realizado em stop motion, com impressionante reprodução de detalhes e cenas que parecem iluminadas por um pintor holandês do século XVII, o curta é uma lúgubre história inspirada pela crueldade da ditadura militar argentina. Protagonizado por dois bonequinhos daqueles típicos de bolo de casamento, o representante alemão Wedding Cake, de Viola Baier, resume de forma brilhante, em oito minutos e trinta segundos, começo, meio e fim comuns a muitos relacionamentos promissores. A história sem final feliz pode ser vista na sexta (25), às 19h, e no sábado (26), no complexo do Espaço Itaú de Cinema. Mais alto-astral, o divertido Forward, March! é uma gozação francesa aos ingleses. A parada de soldadinhos britânicos até começa bem, mas termina em confusão, como se poderá ver no Espaço Itaú 1, na sexta (25), às 23h. Tem muito mais. Confira a programação completa em www.animamundi.com.br.

recomenda-teatro.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Uma das dezenas de peças com apenas um ato escritas por Tennessee Williams (1911-1983), este poético drama ganha uma envolvente releitura pelas mãos do grupo Os Dezequilibrados. De saída, chama atenção o espaço cênico - não o palco, mas todo um casarão na Ladeira da Glória, que os espectadores percorrem cena a cena. Quem conduz a plateia são os dois únicos personagens, um casal em crise, vivido com notável entrega por Ângela Câmara e Saulo Rodrigues. Eles já mal se comunicam, mas o amor ainda parece resistir, impedindo uma separação definitiva. Corajosamente, o diretor Ivan Sugahara busca a harmonia possível entre o intimismo do texto e a ousadia ao ambientar a montagem, sem perder de vista o lirismo - e é em grande medida bem-sucedido. De forma apropriada, o espetáculo evoca em vários momentos a estética do pintor Edward Hopper (1882-1967), conhecido por suas pungentes representações da solidão humana. A movimentação do público, da área externa à porta da casa e daí para sala, cozinha, piscina (em uma linda cena), varanda e jardim, é feita de maneira fluida e permite uma analogia com o fluxo do relacionamento entre os personagens (60min). 14 anos. Estreou em 8/6/2014.

Casa da Glória (30 lugares). Ladeira da Glória, 98, Glória, ☎ 3259-3554 e 97981-7918. Sábado e domingo, 14h e 16h. R$ 30,00. Bilheteria: abertura uma hora antes da sessão. Até 17 de agosto.

recomenda-expos.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Inaugurada em março, a individual do argentino Fabian Marcaccio tem servido de âncora para uma relevante temporada dedicada à pintura na Casa Daros, completada por uma sequência de boas exposições paralelas. A última dessa série é uma reunião de dois artistas: a brasileira Vânia Mignone, com dezoito obras apresentadas, e o cubano René Francisco Rodríguez, com sete. Embora não tenham pontos de contato no que diz respeito ao tema, os trabalhos escolhidos pelo curador Hans-Michael Herzog revelam, em sua maioria, a presença de palavras. Com uma participação na Bienal de São Paulo no currículo, Vânia comparece, por exemplo, com uma misteriosa pintura em acrílica sobre MDF sem título, de 2007, na qual uma mulher de coroa encoberta por flores aparece ao lado do nome Irene. De Rodríguez, expoente da arte contemporânea em seu país, chama atenção o óleo Mamma Mía (2014), espécie de vista aérea em que minúsculas pessoas, pintadas quase à moda pontilhista, formam os dizeres do título.

Casa Daros. Rua General Severiano, 159, Botafogo, ☎ 2275-0246. Quarta a sábado, 11h às 19h; domingo, 11h às 18h. R$ 12,00. Grátis para crianças de até 12 anos e às quartas. Meia-entrada para idosos e estudantes com mais de 12 anos. A bilheteria fecha meia hora antes do término do horário de visitação. Até 10 de agosto.

recomenda-criancas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quem, na infância, nunca quis ficar acordado só mais um pouquinho, depois da hora combinada, e inventou um milhão de desculpas para não ir para a cama? Com direção de Renato Carrera e texto de Rodrigo de Roure, Não Quero Dormir Agora! parte do clássico impasse entre as crianças e seus pais. A peça conta a história de Lori (Maria Luiza Cavalcanti), menina pródiga em questionamentos e respostas afiadas. Sua brincadeira preferida é fazer uma farra quando chega o sono. Mergulhada em fantasias, a personagem divide aventuras com a mãe, Laura, a super-heroína Laís (papéis de Luciana Ferreira) e a professora de dança Leila (Joana Cabral). Trilha sonora de Isadora Medella, do grupo Chicas, embala coreografias das três atrizes, que, como mães e educadoras, sabem muito bem do que trata o espetáculo (55min). Rec. a partir de 4 anos. Estreia prevista para este domingo (20).

Centro de Referência Cultura Infância - Teatro do Jockey (120 lugares). Avenida Bartolomeu Mitre, 1110, Gávea, ☎ 3114-1286. Sábado e domingo, 18h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. e dom.). Até 24 de agosto.

recomenda-restaurantes.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Abriu em junho, no CasaShopping, a primeira unidade no Brasil da rede americana de cozinha asiática - empreitada com mais de 250 lojas em treze países. Na porta, o enorme cavalo de terracota, a marca registrada do negócio, chama atenção, assim como as réplicas dos guerreiros de Xian que adornam o salão de decoração sóbria. Boa sugestão do extenso cardápio, a sopa que combina tiras de frango, shiitake fresco, tomate-uva, macarrão de arroz e folhas de coentro (R$ 40,00) pode, como abre-alas, servir até quatro pessoas. Outra dica, o dynamite shrimp não é para os fracos: traz camarões graúdos, envolvidos em massa crocante de tempurá e molho aïoli bem picante (R$ 34,00). Entre os pratos principais, prove o mongolian beef (R$ 52,00), lâminas de carne saborosamente carameladas em molho de shoyu, alho e cebolinha verde. Acompanhamentos são pedidos à parte - não deixe de provar a porção de shiitake e cogumelo-de-paris salteados em manteiga e azeite com alho, gengibre e um toque cítrico de limão (R$ 15,00 a pequena; R$ 28,00 a grande). Na carta de vinhos, o bom tinto argentino Escorihuela Gascón Malbec é oferecido em meia garrafa por R$ 55,00.

Avenida Ayrton Senna, 2150 (CasaShopping), Barra, ☎ 2108-6351 (320 lugares). 12h/23h (sex. e sáb. até 0h; dom. até 22h). Cc: todos. Cd: todos. Estac. (R$ 50,00) www.pfchangs.com.br. Aberto em 2014. $$

Fonte: VEJA RIO