Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Dia da Geral: Cristo mobiliza voluntários para mutirão de coleta seletiva

Ação no Dia do Meio Ambiente terá 90 ecopontos distribuídos pela cidade e espera recolher 90 toneladas de material reciclável, destinado a cooperativas

Por Raylla Aquino* Atualizado em 4 jun 2021, 14h28 - Publicado em 4 jun 2021, 14h19

Neste sábado 5 de junho é o Dia da Geral, um grande mutirão de limpeza da cidade. Parte das comemorações dos 90 anos do Monumento do Cristo Redentor, o evento foi idealizado pelo reitor do Santuário Cristo Redentor, padre Omar.

A ação – referência à expressão popular “dar uma geral”, uma boa limpeza – tem por objetivo conscientizar a população, pôr em prática o desenvolvimento sustentável e consolidar um evento de educação ambiental no calendário do Rio.

Recém-aprovado na Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei 264/2021 oficializa o Dia Municipal de Conscientização da Limpeza Urbana e Ambiental, ou Dia da Geral. O material recolhido será encaminhado para cooperativas de reciclagem, dando o destino correto aos resíduos sólidos urbanos.

“Queremos promover a maior coleta seletiva da história do Rio de Janeiro. Vamos ter 90 ecopontos espalhados por diferentes pontos da cidade e queremos juntar 90 toneladas. E vamos encerrar o dia de coleta com a iluminação do Cristo Redentor na cor verde, celebrando o Dia Mundial do Meio Ambiente”, explica padre Omar.

Haverá pontos de coleta no estádio Maracanã (entrada C), no Parque da Chacrinha, em Copacabana, na entrada do Jardim Botânico, no Parque da Catacumba, no Posto 12 (Leblon), na Paróquia Nossa Senhora da Paz, no Parque Garota de Ipanema e no Posto 9, em Ipanema; na Paróquia São José da Lagoa; no Parque das Ruínas de Santa Teresa, na Escadaria Selaron, nos Arcos da Lapa; na Catedral Metropolitana, Passeio Público, no Campo de Santana, no Museu do Amanhã, na Praça Paris, no Monumento Estácio de Sá; no Batalhão de Choque na Cidade Nova, na Praia de Botafogo, no IED na Urca, na Praia Vermelha, no Parque Guinle, no Parque Darke de Mattos (Paquetá), na paróquia São José e Nossa Senhora das Dores, na Tijuca;  no Bosque da Barra, nos parques Chico Mendes e Marapendi, no Recreio, e no Golf Club do Itanhangá, entre outros.

Voluntários podem fazer sua inscrição no site do santuário. O evento é realizado em parceria com a Defensoria Pública, o Ministério Público, a Prefeitura do Rio, o governo do estado, a Comlurb e pastorais da igreja. Confira a lista completa de endereços dos pontos de coleta.

Todas as ações serão transmitidas pelo canal oficial do Santuário Cristo Redentor e do padre Omar no YouTube. “A grande comemoração é aproximar ainda mais o Cristo Redentor da população e, ao mesmo tempo, criar uma convergência de todos que o visitam, vindos das mais diversas partes do Brasil e do mundo. O Cristo Redentor não somente é porta de entrada para o turismo brasileiro como também é um ambiente especial demais para o desenvolvimento de ações sociais, ambientais”, afirma padre Omar.

Cristo Redentor: aniversário sustentável e social

Padre Omar
Padre Omar na abertura da campanha dos 90 anos do Cristo Redentor, em março Santuário Cristo Redentor/Divulgação

Os 90 anos do Cristo Redentor têm como tema a Agenda 2030 e os 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da ONU. Os eventos previstos para a semana do aniversário, de 9 a 17 de outubro, que aconteceriam inicialmente na Marquês de Sapucaí, foram deslocados para a Catedral Metropolitana, no Centro, e para os projetos sociais da Arquidiocese do Rio de Janeiro e do Santuário Cristo Redentor.

Continua após a publicidade

“Vamos focar 100% no projeto de cidadania. O Cristo Redentor vai descer a montanha do Corcovado: vamos para o Centro do Rio, ali na Avenida Chile. Em torno da Catedral, num grande pátio ao ar livre, vamos fazer a maior rede de atendimento da história: vamos dar atendimento às pessoas em situações de rua, aos mais vulneráveis, uma grande feira de cidadania com todos os serviços à população. Vamos ter uma vila sustentável, onde vamos poder também capacitar pessoas para boas práticas sustentáveis”, diz o padre.

Catedral Metropolitana do Rio
Catedral Metropolitana: pátio terá serviços para população em situação de rua Alexandre Macieira/Riotur

Em parceria com a Arquidiocese do Rio e o Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da PUC-Rio, será construído no pátio da Catedral um grande banheiro, com chuveiros, sanitários, lavanderia e barbearia para as pessoas em situação de rua. O projeto está em fase de avaliação para aprovação junto à prefeitura.

Pelo menos 7 272 pessoas estão em situação de rua no município, a maior parte delas (1.442) no Centro do Rio, de acordo com o Censo de População em Situação de Rua 2020, coordenado pelo Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos e pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos em parceria com a Secretaria de Saúde, realizado de 26 a 29 de outubro de 2020.

“É um pedido do papa Francisco que as igrejas se tornem espaços privilegiados de encontros e de assistência social”, destaca padre Omar. “Nós não queremos estar distantes do sofrimento dos mais vulneráveis, queremos levar soluções: saúde, tratamento, cuidado, atenção, justiça. Estamos montando uma importante rede de solidariedade para garantir ainda mais a atuação de voluntários que queiram colaborar nesse projeto. O aniversário do Cristo vai ser 100% sustentável, 100% social e incentivando ainda mais a perspectiva caritativa entre os cidadãos”.

A campanha social Cristo Redentor, eu quero doar! já distribuiu 400 toneladas de alimentos já entregues a famílias de 200 comunidades do Estado do Rio. Lives solidárias de Dennis DJ e dos cantores Xande de Pilares, Jorge Aragão e Teresa Cristina promoveram a ação.

Já na semana do aniversário, de 9 a 17 de outubro, haverá três lives de shows na colina do Corcovado, sem público. Os padres cantores Fabio de Mello e Reginaldo Manzotti foram convidados, e padre Omar espera a confirmação de outros artistas, inclusive estrangeiros.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Os 90 anos também inspiram a preservação e divulgação do patrimônio histórico: “Dentro das comemorações, estamos fortalecendo o setor de Acervo do Cristo Redentor. É uma parceria entre a Cátedra da Reitoria da PUC-Rio com o Cristo Redentor e o Centro Dom Vital. Nós vamos fazer um museu do Cristo. Para isso, estamos estabelecendo a criação do acervo. Nós estamos numa fase de pesquisa bem intensa”, conta padre Omar, que é membro da Cátedra da Reitoria da PUC-Rio para assuntos arquidiocesanos.

* Raylla Aquino, estudante de Jornalismo da PUC-Rio, sob supervisão de professores da universidade e revisão de Veja Rio.

Continua após a publicidade
Publicidade