Clique e assine por apenas 4,90/mês

Sons de Pernambuco: duas ótimas atrações daquelas bandas

Banda Eddie faz show no Rival e o pianista Amaro Freitas se apresenta em trio no Blue Note

Por Carol Zappa - 10 nov 2017, 11h29
eddie-8-heudes-regis.jpeg
Eddie Heudes Regis/Divulgação

Eddie. Pioneira do mangue beat ao lado de Chico Science & Nação Zumbi (é do cantor, guitarrista e fundador Fábio Trummer, aliás, o hino Quando a Maré Encher, gravado pelos conterrâneos e por Cássia Eller), a banda seguiu embalando frevo com rock, pitadas de samba, reggae e surf music. Com quase três décadas de estrada, o contagiante quinteto, baluarte do Carnaval de Olinda, aporta no Rival. O público deve dançar ao som de sucessos como Vida Boa, Não Vou Embora, Pode Me Chamar e Ela Vai Dançar, além de músicas novas, prometidas pelo grupo. Teatro Rival Petrobras. Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia. Sexta (17), 22h. R$ 60,00 (1º lote).

Amaro Freitas: piano de sotaque arretado Jao Vicente/Divulgação

Amaro Freitas Trio. Revelação do Mimo Festival em 2016, o recifense de 26 anos faz jazz à brasileira. Com talento e criatividade, o pianista autodidata — que deu seus primeiros passos na música tocando na banda de uma igreja evangélica — embala o gênero em camadas de frevo, maracatu, samba e ritmos africanos, ao lado do baixista Jean Elton e do baterista Hugo Medeiros. Ao vivo, o virtuoso trio passeia pelo repertório do disco de estreia, Sangue Negro, que revela músicas como Encruzilhada e Subindo o Morro. Blue Note Rio. Avenida Borges de Medeiros, 1424, Lagoa. Sábado (18), 22h30. R$ 80,00.

 

Publicidade