Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Rio 456 anos: Cacique de Ramos ganha homenagem em série documental on-line

Em quatro episódios, Festival Folia Carioca vai contar histórias do Carnaval de rua e relembrar clássicos do samba na voz de Dorina

Por Marcela Capobianco 22 fev 2021, 19h40

Num ano sem os desfiles oficiais de blocos de Carnaval e escolas de samba, ainda há espaço para homenagear as tradições da folia local.

Na próxima segunda (1º), aniversário da cidade, a Associação Carioca de Blocos e Bandas lança uma série documental on-line que vai contar a história do Carnaval de rua do Rio. Serão quatro exibições, além do dia 1º, em 7, 14 e 20 de março, sempre às 19h.

A inspiração principal da série é o Cacique de Ramos, que está completando 60 anos. A direção musical é de Paulão 7 Cordas e a direção artística é de Marquinhos de Oswaldo Cruz. As edições, em formato de documentário, intercalam músicas, imagens e depoimentos. Os vídeos serão disponibilizados no canal da Folia Carioca no YouTube.

Os artistas convidados, Dorina e Bira Presidente, serão acompanhados pela banda e bateria do Folia Show e a roda de samba A Gloriosa vai abrir as edições. No repertório das apresentações, gravadas na sede do Cacique de Ramos, estarão clássicos como A Voz do Morro, Vou Festejar, “Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida e Canto das Três Raças.

+ Três happy hours imperdíveis no Rio

“Vamos relembrar fatos antológicos de seis décadas de Carnaval de Rua, tendo o Cacique de Ramos como fonte de inspiração. Também vamos aproveitar o festival para fazer uma homenagem especial ao Ubirany, um dos fundadores do bloco, que faleceu vítima da Covid-19. Esta pandemia, inclusive, é o motivo pelo qual estamos fazendo este projeto on-line. Os episódios serão finalizados com depoimentos, imagens falando sobre a criação do repique de mão e todo o legado deixado pelo artista”, revela Marcelo Santos, que divide a direção geral com Carla Wedling.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Durante as transmissões, os organizadores vão arrecadar doações em dinheiro para distribuir cestas básicas para os ritmistas de blocos e bandas de Carnaval que não puderam trabalhar este ano, por conta da pandemia.

Continua após a publicidade
Publicidade