Clique e assine por apenas 4,90/mês

Lives neste sábado abordam racismo, transfobia e intolerância

Zezé Motta vai celebrar o dia da mulher negra com música e militância. Grupo Peneira comemora dez anos com debates e canções

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 24 jul 2020, 12h44 - Publicado em 24 jul 2020, 12h43

Nem só de música vivem as lives que pipocam pela internet. Também tem muito debate e reflexão.

Neste sábado (25), a atriz e cantora Zezé Motta vai celebrar o Dia da Mulher Negra numa live com militância, solidariedade e também um pouco de música.

+ Mulheres negras relatam marcas do racismo

Apresentado por Luiza Brasil (@mequetrefismos), fashionista, hoje uma das principais influenciadoras sobre raça e gênero, e pela atriz Aline Dias, a live vai reunir depoimentos de Maju Coutinho, Sheron Menezzes, Camila Pitanga, entre outras.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

A partir das 16h, num cenário com o Pão de Açúcar ao fundo, Zezé vai contar histórias e cantar músicas compostas para ela por nomes da MPB como Rita Lee, Moraes Moreira e Luiz Melodia.

Durante a live, será possível fazer doações para o Retiro dos Artistas, instituição centenária que tem Zezé Motta como vice-presidente. Para assistir, é só procurar pelos perfis de Zezé Motta no Facebook, Instagram ou Youtube.

+ Teatro on-line: artistas vislumbram novos públicos e rentabilidade

Continua após a publicidade

Também neste sábado (25), o grupo carioca Peneira, que há dez anos ocupa teatros, galerias, museus, galpões e espaços públicos no Brasil e Portugal, com espetáculos, performances, debates, saraus, oficinas e festivais vai comemorar a primeira década com uma série de atividades on-line.

A partir das 14h, a página do Facebook do grupo Peneira vai transmitir o lançamento das publicações Cartonera do Escritório volume I e II; sets da DJ Iasmin Turbininha, considerada a DJ mulher mais influente do funk na atualidade.

+ Carentena? Especialistas em linguística comentam gírias da pandemia

Além disso, rolam performances de Lorna Washington, ícone do transformismo carioca, poemas de Bixart, poetisa e cantora paraibana que costuma abordar temas como transfobia, racismo e intolerância religiosa; música com a cantora, compositora e instrumentista pernambucana Isaar, entre outras atividades culturais.

Continua após a publicidade

O doutor em estudos de literatura e cultura pela PUC-Rio, professor e pesquisador Miguel Jost vai participar de um bate-papo sobre o papel das políticas públicas de cultura no pós-pandemia.

Publicidade