Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Grupo Corpo disponibiliza espetáculos comentados na web

Nesta sexta (13), o coreógrafo Rodrigo Pederneiras vai rememorar histórias do balé Gira, de 2017, respondendo perguntas do público pelo YouTube

Por Marcela Capobianco 11 ago 2021, 17h44

Ansiando para reencontrar o público de forma presencial, mas consciente de que ainda deve-se explorar as plataformas digitais, o Grupo Corpo, uma das mais importantes companhias de dança do país, vai disponibilizar na web uma minitemporada de apresentações comentadas.

Nesta sexta (13), o coreógrafo Rodrigo Pederneiras e bailarinos da companhia contam histórias e respondem perguntas, enviadas pelo público, sobre o espetáculo Gira, de 2017.

Os ritos da umbanda são a grande fonte de inspiração do espetáculo, cujos onze temas musicais, criados pela banda Metá Metá, são guiados por Exu, o mais humano dos orixás.

O encontro acontece a partir das 19h30, pelo canal do Youtube do Grupo Corpo.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Após a sessão ao vivo, a gravação do balé – na íntegra – será disponibilizada também pelo YouTube, e ficará na plataforma por uma semana.

Continua após a publicidade

+ Musical sobre Clara Nunes terá sessão híbrida no aniversário da cantora

No dia 17 de setembro, haverá mais um encontro on-line. Dessa vez, o papo será sobre o Bach, que estreou em 1996. O balé propunha uma comunhão entre o barroco do compositor alemão e o barroco de Minas Gerais, celebrando a arquitetura da vida.

+ Rock in Rio confirma edição em setembro de 2022 e anuncia Justin Bieber e Demi Lovato no Palco Mundo

Já no dia 8 de outubro, a bailarina e coreógrafa paulista Cassi Abranches vai se encontrar com os fãs da dança para rememorar o espetáculo Suíte Branca, idealizado por ela em 2015. A montagem reunia bailarinos vestidos de branco sobre um cenário todo branco e contou com músicas de Samuel Rosa.

+ Ludmilla: “Racistas não aceitam que cheguei ao topo”

“O mais gostoso é o contato com o público, conversar com as pessoas ao vivo”, conta Pederneiras. “Encontramos uma bela maneira de recordar e contar histórias, curiosidades e vivências interrompidas pela pandemia”, completa o coreógrafo, que antes do novo coronavírus se instalar no planeta excursionou com os espetáculos Gira e Bach pelos Estados Unidos e Canadá.

Continua após a publicidade

Publicidade