Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Ainda não ouviu o EP de Juliette? Veja motivos para correr para o streaming

O trabalho conta com seis canções inéditas e traz um 'gostinho' de como serão as escolhas musicais da vencedora do BBB 21

Por Marcela Capobianco 3 set 2021, 16h06

Fenômeno no BBB 21, a milionária Juliette levou pouco tempo para decidir que queria mesmo enveredar pela carreira musical.

Nesta quinta (2), chegou ao streaming o primeiro EP da paraibana. O projeto conta com seis canções inéditas e traz um ‘gostinho’ de como serão as escolhas musicais da estrela que acumula 32,6 milhões de seguidores no Instagram.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Se você ainda não ouviu as músicas, confira abaixo motivos para acessar o streaming mais próximo e se deliciar com a voz doce de Juliette.

Equipe estrelada.

+ Número de cariocas com segunda dose da vacina em atraso cai 40%

Gravado entre as cidades do Rio de Janeiro, Salvador, João Pessoa e Recife, o EP é um lançamento da Rodamoinho Records, de Anitta. A carioca, por sinal, assina a composição Doce, terceira faixa do álbum, com Umberto Tavares e Jefferson Jr.

O trabalho traz a grife do produtor Rafinha RSQ em duas faixas e conterrâneos e amigos de Juliette como Juzé e Dann Costara como compositores e produtor.

A canção Diferença Mara foi a escolhida para ganhar um videoclipe, com direção de arte de ninguém menos que Giovanni Bianco, que assinou trabalhos de Madonna, Anitta e Marisa Monte.  O vídeo chega ao canal do YouTube de Juliette na próxima segunda (6) às 12h.

+ Número de cariocas com segunda dose da vacina em atraso cai 40%

Orgulho do Nordeste.

Ao longo de 17 minutos, fica claro que Juliette quis imprimir, em seu primeiro trabalho musical, o amor e o orgulho que sente do Nordeste. “É que eu venho lá do sertão / O coco é seco demais, irmão / E o preconceito eu só engulo com farinha”, dizem versos da música Bença (Dann Costa e Juzé).

Continua após a publicidade

“A música traduz sentimentos e dá sentido à vida. É a fala da alma. A música é uma forma poética de traduzir essa magia que é o ser humano. Eu sou louca por música e agora estou tendo o tempo e a oportunidade para me dedicar a esse sonho e eu fico grata demais”, diz Juliette, que discorre sobre o amor, as dificuldades e os prazeres da vida nas seis faixas.

Referências.

Com toques do pop, do forró e da nova MPB, as músicas da paraibana têm referências claras a bandas de forró que fizeram sucesso no início dos anos 2000, como Falamansa e Bicho de Pé, além de beber na fonte do pop melódico da banda Melim e da levada da dupla Anavitória.

A madrinha Anitta, é claro, também é percebida ali. Principalmente na última faixa, Vixe Que Gostoso, a mais dançante delas.

+ O que Ana Beatriz Nogueira aprendeu com o teatro pela internet?

Sucesso estrondoso.

Como não poderia deixar de ser, o primeiro trabalho musical de Juliette já é um sucesso. Antes mesmo de ser lançado, o EP tinha sido ‘pré-salvo’ 600 000 vezes nas plataformas de streaming. Um recorde. Só o Spotify registrou 222 000 pre-saves. O recorde anterior tinha sido de Luisa Sonza, com 22 000 pre-saves do disco Doce 22.

Gatilhos.

Os xotes Sei lá, Doce e Benzin despertam aquela vontade de dançar agarradinho. Como ainda vive-se tempos de distanciamento social, resta a saudade dos salões apinhados de casais forrozeando.

Continua após a publicidade

Publicidade