Clique e assine por apenas 4,90/mês

Dez programas imperdíveis neste fim de semana

VEJA RIO selecionou dez atrações para deixar seu fim de semana mais animado. Destaque para show do Paralamas do Sucesso, na fundição progresso, sábado (24)

Por Redação VEJA RIO - 22 mar 2018, 19h25

Mallu Magalhães

Mallu Magalhães Gonçalo F. Santos/Divulgação

Mallu Magalhães. Cancelado em agosto por causa de problemas de saúde da artista, o show carioca de lançamento do álbum Vem traz uma cantora amadurecida. Radicada em Lisboa, Mallu (que se apresenta no Lollapalooza na véspera) transita por bossa nova, jovem guarda, samba e MPB em faixas como Casa Pronta e Você Não Presta. Sucessos, entre eles Velha e Louca e Sambinha Bom, serão lembrados ao lado de canções da Banda do Mar, projeto dela com o marido, Marcelo Camelo, e Fred Ferreira. A noite segue com a festa Yellow Submarine. Circo Voador. Arcos da Lapa, s/nº. Sábado (24), a partir das 22h. R$ 100,00 (1º lote). 

Terra Prometida

Osvaldo Carvalho/Divulgação

Osvaldo Carvalho. Influências da cultura pop misturam-se a notícias factuais nas telas da mostra Terra Prometida, na qual o artista busca refletir sobre os principais impasses vividos pelos homens na atualidade. Na foto à esquerda, uma das obras da série que retrata manifestações contra o G20, grupo que congrega líderes das maiores potências econômicas do mundo.

Continua após a publicidade

O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças

o-menino-das-marchinhas-foto-de-diego-morais-1.jpeg
O Menino das Marchinhas Diego Morais/Divulgação

Em ocupação artística no Teatro dos Quatro, o projeto Grandes Músicos para Pequenos apresenta, a partir de sábado (24), O Menino das Marchinhas — Braguinha para Crianças. Com direção de Diego Morais, a peça, ambientada na década de 20, aborda a infância de Carlos Alberto Ferreira Braga, o Braguinha (1907-2006), compositor de clássicos como Balancê e Yes, Nós Temos Bananas. Rodrigo Morura, Pedro Henrique Lopes e Augusto Volcato (na foto) encenam a história de um garoto apaixonado por música que decide se juntar aos amigos para criar belas marchinhas (55min). Rec. a partir de 1 ano. Teatro dos Quatro. Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea. Sábado e domingo, 17h. R$ 60,00. Até 1º de abril. Reestreia no sábado (24).

A Visita da Velha Senhora

Denise Fraga e Tuca Andrada em cena da comédia dramática “A Visita da Velha Senhora”, dirigida por Luiz Villaça. Everton Amaro/Divulgação

 A Visita da Velha Senhora. Depois de dois textos de Bertolt Brecht, Denise Fraga investe no suíço Friedrich Dürrenmatt, outro peso-pesado da dramaturgia no século XX. Em atuação impecável — na qual até surpreende com dotes de cantora —, a atriz encanta a plateia da sessão, um tanto mais longa do que o necessário. Ela encarna Claire Zachanassian, senhora rica, de volta à sua falida cidade natal e disposta a dar o troco ao homem que a abandonou grávida na juventude (qualquer semelhança com Tieta, criação de Jorge Amado levada à TV e ao cinema, não é mera coincidência). Na direção, Luiz Villaça reveste de sutileza a abordagem de temas como justiça, vingança e corrupção, que seguem vivos e relevantes no texto escrito em 1955. Em outro trunfo do espetáculo, os personagens defendidos pelo elenco equilibrado apresentam-se livres de qualquer juízo de valor, ou seja, sem subestimar o espectador. A trupe em cena traz Tuca Andrada e Rafael Faustino, este no delicioso papel do assassino contratado pela milionária para fazer a trilha sonora de sua vida (120min). 14 anos. Teatro Sesc Ginástico. Avenida Graça Aranha, 187, Centro. Quinta a sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 30,00. Até domingo (25).

Continua após a publicidade

Paralamas do Sucesso

Herbert Vianna, João Barone e Bi Ribeiro: esperança permeia novo disco Mauricio Valladares/Divulgação

Após oito anos, Os Paralamas do Sucesso lançaram em 2017 um álbum de inéditas: Sinais do Sim. Herbert Vianna (voz e guitarra), João Barone (bateria) e Bi Ribeiro (baixo) intercalam as recém-chegadas com hits de 35 anos de estrada, como Alagados e Meu Erro, e canções pouco visitadas do trio. Na mesma noite, Humberto Gessinger traz a turnê do DVD Ao Vivo pra Caramba. Trata-se de registro do show de 2017 que celebrou três décadas de A Revolta dos Dândis, o segundo disco do Engenheiros do Hawaii. Clássicos da banda gaúcha, Infinita Highway e Terra de Gigantes dividem espaço com músicas de outras fases, até o mais recente disco, Desde Aquela Noite. Fundição Progresso. Rua dos Arcos, 24, Lapa. Sábado (24), a partir das 22h. R$ 120,00 (pista) e R$ 300,00 (frisas).

Rival Rebolado

Elisa Mendes/Divulgação

Tradicional reduto das artes no Rio, o Teatro Rival completa 84 anos na quinta (22), com direito a festa do Rival Rebolado. A partir das 19h, Leandra Leal encabeça o divertido show com esquetes de humor, números musicais e concurso de drag queens. Nos dois dias seguintes, sempre às 19h30, Luis Lobianco (foto) apresenta o contundente solo Gisberta, inspirado na história real da travesti brasileira assassinada em Portugal. Dirigido por Renato Carrera, o ator faz um libelo contra o  preconceito que alimenta a violência. Teatro Rival Petrobras. Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia. Quinta (22), 19h. R$ 30,00. Sexta (23) e sábado (24), 19h30. R$ 50,00.

Continua após a publicidade

Mostrinha Livre 2018

Marcelo Guedes/Divulgação

Cinema independente não é coisa só de gente grande. São dedicados à criançada os cinco filmes da Mostrinha Livre 2018, em cartaz a partir de sábado (24) no CCBB. Os trinta minutos de sessão reúnem Dinoshop, da gaúcha Tainá Ribeiro; Lia, da carioca Giulia Donato; Mira, da paranaense Janaína da Veiga; O Dedo de Ian, do mineiro Igor Amin; e Fazenda Rosa, da pernambucana Chia Beloto. A exibição dos curtas integra a 17ª edição da Mostra do Filme Livre. Rec. a partir de 5 anos. CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro. Sábado (24), 15h30; e domingo (25), 15h. Grátis (senhas distribuídas das 14h em diante). Até 15 de abril.

Gritos

Renato Mangolin/Divulgação

 Em tempos de banalização da palavra, André Curti e Artur Luanda abordam temas universais em uma peça muda. Batizado como Gritos (escolha que embute evidente provocação), o espetáculo da companhia franco-brasileira Dos à Deux, fundada pela dupla, reestreia na sexta (2), no Teatro Dulcina. A montagem apresenta três histórias sobre o amor. Dentro de uma instalação labiríntica, Curti e Luanda discutem questões de gênero e a busca pela identidade, usando precisa manipulação de objetos cênicos (90min). 14 anos. Casa de Cultura Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema. Sexta e sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 50,00. Até 15 de abril.

Continua após a publicidade

Lena Bergstein

Lena Bergstein/Divulgação

Destaque na trajetória de Lena Bergstein, a mostra Ficções ocupará três salas do Museu Nacional de Belas Artes a partir de quarta (21). Oitenta trabalhos em telas, fotos e livros dialogam com a obra do poeta russo Osip Mandelstam. Entre os inéditos figura a série Reflexos da Noite, que apresenta quinze registros feitos pela artista carioca durante a madrugada. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado e domingo, 13h às 18h. R$ 8,00. Até 21 de maio. Abertura na quarta (21).

Biltre

Biltre: música no pedal Kika Diniz/Divulgação

Munida de humor escrachado em letras afiadas do que chama de “pop-zoeira”, a banda Biltre convoca o público para o projeto Bananobike: o Som que Sai do Pedal.Fundadores do bloco Minha Luz É de LED, Arthur Ferreira, Dioclau Serrano, Diogo Furieri e Vicente Coelho concentram-se na Praça São Salvador, em Laranjeiras, às 15h30 e partem às 16h30, montados em um sistema de som sobre rodas, em direção ao Oi Futuro Flamengo. Ali, apresentam canções-memes do disco Nosso Amor Vai Dançar, como a divertida Nosso Amor Foi um GIF, parceria com Gregorio Duvivier. Neste sábado (17), eles recebem a cantora Letrux e no seguinte encerram com a MC Carol. Oi Futuro. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo. Sábado (17 e 24), 17h30. Grátis.

Publicidade