Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Atriz Débora Duboc encanta em monólogo no qual permanece imóvel no palco

A Valsa de Lili, que estreia no CCBB nesta quinta (25), mostra as angústias e os sonhos de uma mulher que só movimenta os músculos da cabeça

Por Marcela Capobianco Atualizado em 19 fev 2021, 09h31 - Publicado em 19 fev 2021, 06h00

Imóvel no palco por quase uma hora, a atriz Débora Duboc interpreta uma mulher que vive numa UTI há quarenta anos no monólogo A Valsa de Lili, que estreia presencialmente no CCBB após passagens de sucesso por São Paulo e Brasília.

Por causa de uma poliomielite mal curada, ela só consegue movimentar os músculos da cabeça.

Os pensamentos, no entanto, são livres, e a personagem sente que sua alma consegue dançar. Sem perder o bom humor, Lili divide com a plateia os próprios medos, angústias, dúvidas e alegrias, provando que é, sim, possível viver plenamente.

O texto de Aimar Labaki é baseado no livro Pulmão de Aço, da paulista Eliana Zagui, a Lili da vida real. Débora Duboc conquistou, em 2020, o prêmio APCA de melhor atriz pela montagem.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Estreia em 25 de fevereiro. CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro. Qui.a sáb., 18h. Dom., 17h. R$ 30,00. Ingressos pelo eventim.com.br. Até 4 de abril.

Continua após a publicidade
Publicidade