Clique e assine por apenas 3,90/mês

Conceição Evaristo e Bia Bedran participam de roda de leitura on-line

Encontros virtuais abertos ao público encerram ciclos de aprendizado de crianças e jovens do Morro do Alemão

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 9 jul 2020, 19h23 - Publicado em 9 jul 2020, 19h22

Para quem mora em favelas do Rio de Janeiro “ficar em casa” ou “em isolamento social”, no período em que escolas estão fechadas, não é tão simples. Portanto, um dos grandes desafios das organizações sociais em comunidades é convencer os jovens a se proteger do novo coronavírus.

+ Grátis: escritora lança manual antirracista para crianças

O Projeto Rodas de Leitura do Instituto Estação das Letras, em parceria com a Associação Nagai, vai trabalhar com cerca de 120 famílias do Morro do Alemão, da Favela da Malacacheta, no Rio de Janeiro, virtualmente, através da plataforma Zoom. O Instituto acredita na possibilidade de combater a vulnerabilidade social através de ação cultural e na busca constante pela democratização.

+ Quarenta anos sem Vinicius de Moraes: veja músicas mais tocadas do Poetinha

As rodas têm, ao todo, três meses de encontros semanais com leitura e mediação de professores especializados em torno da obra de três escritores escolhidos pela curadoria do projeto. Cada roda de leitura aborda uma obra diferente, tem duração de quatro semanas e atende crianças de uma faixa etária específica (5 a 8 anos; 9 a 12; e 13 a 21 anos). Os autores Conceição Evaristo, Daniel Mundurku e Bia Bedran vão comparecer, também por chamada de vídeo, ao último encontro de cada ciclo para uma interação, que será aberta ao público.

Continua após a publicidade

Todas as crianças vão receber um exemplar do livro trabalhado, adequado à sua faixa etária.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

O encontro virtual com a educadora Bia Bedran, acontece nesta segunda (13), às 14h. Para assistir, é só acessar a página do projeto no Facebook.

+ Sete livros de autores negros para ler em família

Em agosto e setembro, respectivamente, o projeto recebe Daniel Munduruku e Conceição Evaristo. O livro de contos Olhos D’água, sobre vidas negras e pobres perdidas tragicamente e que quando muito rendem um registro nos noticiários, será estudado pelos alunos.

Continua após a publicidade
Publicidade