Clique e assine por apenas 7,90/mês

Clarice Niskier estreia monólogo com músicas de Zeca Baleiro

Nas palavras da atriz, o novo trabalho é um grito de amor ao Brasil e às músicas produzidas no país

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 9 mar 2020, 10h44 - Publicado em 6 mar 2020, 12h00

A atriz Clarice Niskier, em cartaz há catorze anos com o sucesso A Alma Imoral, estreia mais um monólogo: A Esperança na Caixa de Chicletes Ping Pong

Do que se trata sua nova peça?
O espetáculo é uma espécie de declaração de amor ao Brasil e à música produzida por aqui. O texto faz uma colagem de artigos de intelectuais como Sérgio Buarque de Holanda e Ferreira Gullar com trechos de 59 músicas do maranhense Zeca Baleiro.

Por que a escolha do cantor e compositor?
Sou fã do Zeca desde a primeira vez que escutei Samba do Approach. As músicas dele têm uma melancolia que se transforma, com humor, em esperança. Tudo a ver com o momento político que estamos vivendo.

Você diz, no espetáculo, que a música é companheira do abismo. Acha que o Brasil está à beira do precipício?
Vivemos em uma sociedade dividida, em que educação, ciência e conhecimento estão sendo negados por quem nos governa. Eu sinto que está todo mundo desamparado, mas a cultura, a arte e a educação podem nos unir novamente, independentemente de crenças e ideologias.

Teatro Petra Gold. Rua Conde de Bernadotte, 26, Leblon. Sexta a domingo, 20h. R$ 80,00. Até 26 de abril.

Publicidade