Clique e assine por apenas 7,90/mês

Carlos Drummond de Andrade tem estilo de escrita imitado por app

Dois doutorandos da PUC-Rio analisaram 200 poemas para criar aplicativo

Por Rafael Sento Sé - Atualizado em 4 dez 2017, 12h18 - Publicado em 1 dez 2017, 07h00
Carlos Drummond de Andrade
Divulgação/Riotur

O Laboratório de Inteligência Computacional da PUC-Rio desenvolveu um aplicativo experimental que simula a escrita de um dos grandes autores brasileiros: Carlos Drummond de Andrade. A ousadia nasceu da tese de doutorado de dois alunos de engenharia elétrica, que utilizaram uma rede neural de aprendizado profundo para analisar a combinação de palavras em 200 poemas e na coletânea 100 Sonetos de Amor. Para a expressão Rio de Janeiro, o computador criou um texto de lirismo surrealista: “O Rio de Janeiro que não é rio, é um antigo piano, foi de alguma dona, hoje sem dedos, sem queixo, sem música na fria mansão. (…) Toda melancolia dissipou-se em sol, em sangue, em vozes de protesto. Já não cultivamos amargura, nem sabemos sofrer”.

Publicidade