Clique e assine por apenas 4,90/mês

Garças ajudam a controlar praga no Campo de Santana

Aves ajudam a conter infestação de erva-de-passarinho em parque no Centro do Rio

Por Rafael Sento Sé - 4 dez 2017, 12h11
Felipe Fittipaldi/Veja Rio

A sonora revoada das aves brancas e esbeltas no Campo de Santana, fenômeno que pode ser observado por quem passa pelo local nas proximidades do Saara, é resultado de um dilema biológico. Infestado pela parasita popularmente conhecida como erva-de-passarinho, um grupo de cássias virou pouso seguro para as garças. Depois de terem notado a preferência das Ardea alba, técnicos da Fundação Parques e Jardins decidiram não mais fazer o controle da praga. Se de um lado a erva-de-passarinho prejudica as árvores, que já não florescem com vigor, de outro favorece as pernaltas que fazem seus ninhos e se reproduzem naquele ecossistema.

 

Publicidade