Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Apostando novamente em modelo híbrido, ArtRio quer repetir sucesso de 2020

Para quem for a passeio, será possível ver pérolas da arte contemporânea, como as obras de Vik Muniz, Mira Schendel e Luiz Zerbini

Por Marcela Capobianco Atualizado em 20 ago 2021, 10h23 - Publicado em 20 ago 2021, 06h00

Em 2020, Brenda Valansi, criadora da ArtRio, “bateu o pé” para manter a programação presencial da feira, ainda que em versão reduzida. Deu tão certo que a dose vai se repetir entre os dias 8 e 12 de setembro, com a participação de 58 galerias e uma polpuda programação de debates on-line.

Assim como no último ano, as galerias serão divididas em dois programas: Panorama, que reúne grifes com atuação estabelecida no mercado, e Vista, dedicado aos mais novatos, com projetos desenvolvidos exclusivamente para o evento.

Há ainda as seções Mira, com curadoria de Victor Gorgulho, focada em videoarte, e Solo, na qual galerias apresentam artistas específicos.

“A experiência de 2020 foi crucial para percebermos que a emoção e o contato com as obras, artistas e galerias são únicos”, aponta Valansi. “Ao mesmo tempo, as plataformas digitais possibilitam encontros que dificilmente seriam possíveis ao vivo.”

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Para quem for a passeio, será possível ver pérolas da arte contemporânea, como as obras de Vik Muniz, Mira Schendel, Luiz Zerbini e Cruz-Díez (1923-2019).

Marina da Glória. Qua. (8) a sáb. (11), 13h/21h. Dom. (12), 12h/20h. R$ 100,00. Ingressos pelo artrio.com.

Continua após a publicidade

Publicidade