Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Bijucafé

(Desde 2015)

Tipos de Comidinhas: Cafés, Lanchonetes

Veja Rio:

Endereço: Avenida Presidente Vargas, 1261 - Biblioteca Parque - Centro - Rio de Janeiro - RJ ver no mapa

Telefone: (21) 97161539

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira 10:00 - Último cliente

quarta-feira 10:00 - Último cliente

quinta-feira 10:00 - Último cliente

sexta-feira 10:00 - Último cliente

sábado 10:00 - Último cliente

domingo 10:00 - Último cliente

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (30)

Resenha por Fabio Codeço

Reinaugurada pelo governo do estado há um ano, a Biblioteca Parque Estadual ganhou projeto de arquitetura arrojado, acervo consistente e programação variada. Mais uma razão para a visita, este café, em funcionamento desde o último dia 17, é especializado em tapiocas preparadas com ingredientes orgânicos. No subsolo do prédio, diante de um aprazível jardim interno, o espaço foi projetado pela arquiteta Bel Lobo. À frente do negócio está Teresa Corção, chef e proprietária do tradicional restaurante O Navegador, de comida brasileira, e fundadora do Instituto Maniva, dedicado a um notável trabalho de mapeamento e valorização de pequenos produtores rurais. Curiosidade: o ponto de partida das atividades no instituto foi justamente a mandioca, base para a tapioca. Na biblioteca, diante do balcão, o cliente escolhe a massa (branca ou rosa, colorida com sumo de beterraba) e até dois recheios. Algumas opções disponíveis são creme de bobó, carne-seca, queijo de coalho e, na ala doce, banana caramelada. Cada pedido custa R$ 6,00, qualquer que seja a sugestão. Em uma original criação, o bijuíche (um sanduíche de biju) leva dois discos de tapioca preparados na chapa e recheios como o de queijo com vegetais (R$ 7,00). São opções no cardápio a porção de pães de queijo (R$ 6,00, cinco unidades), salgados diversos (R$ 6,00 cada um) e o mais consistente burger de feijoada (R$ 13,00), servido sem pão, acompanhado de laranja e couve. Para adoçar, experimente doces como o quindão (R$ 7,00 a fatia). 

    Reinaugurada pelo governo do estado há um ano, a Biblioteca Parque Estadual ganhou projeto de arquitetura arrojado, acervo consistente e programação variada. Mais uma razão para a visita, este café, em funcionamento desde o último dia 17, é especializado em tapiocas preparadas com ingredientes orgânicos. No subsolo do prédio, diante de um aprazível jardim interno, o espaço foi projetado pela arquiteta Bel Lobo. À frente do negócio está Teresa Corção, chef e proprietária do tradicional restaurante O Navegador, de comida brasileira, e fundadora do Instituto Maniva, dedicado a um notável trabalho de mapeamento e valorização de pequenos produtores rurais. Curiosidade: o ponto de partida das atividades no instituto foi justamente a mandioca, base para a tapioca. Na biblioteca, diante do balcão, o cliente escolhe a massa (branca ou rosa, colorida com sumo de beterraba) e até dois recheios. Algumas opções disponíveis são creme de bobó, carne-seca, queijo de coalho e, na ala doce, banana caramelada. Cada pedido custa R$ 6,00, qualquer que seja a sugestão. Em uma original criação, o bijuíche (um sanduíche de biju) leva dois discos de tapioca preparados na chapa e recheios como o de queijo com vegetais (R$ 7,00). São opções no cardápio a porção de pães de queijo (R$ 6,00, cinco unidades), salgados diversos (R$ 6,00 cada um) e o mais consistente burger de feijoada (R$ 13,00), servido sem pão, acompanhado de laranja e couve. Para adoçar, experimente doces como o quindão (R$ 7,00 a fatia).