Clique e assine por apenas 4,90/mês

Sem poder rezar missa, padre faz procissão-solo em Inhaúma

Padre Alexandre Tarquino saiu às ruas da Zona Norte do Rio debaixo de sol para pregar a palavra de Deus

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 31 mar 2020, 13h04 - Publicado em 31 mar 2020, 12h22

Já que as igrejas estão fechadas por conta do isolamento social imposto pelo Governo do Estado para conter a pandemia do novo coronavírus, o padre Alexandre Tarquino, da paróquia de Inhaúma, Zona Norte, resolveu fazer uma “procissão-solo” pelas ruas de Inhaúma, Zona Norte do Rio, levando a palavra de Deus a quem seguia o confinamento voluntário. Na manhã do último domingo (29), o pároco subiu na carroceria de uma caminhonete e, apesar do calor que fazia no Rio, abençoou o bairro ostentando a representação do Santíssimo Sacramento.

+ Para receber a Veja Rio em casa, é só clicar aqui

Durante quatro horas, o padre Tarquino, que costuma rezar missas na igreja de São Tiago, no mesmo bairro, desfilou pelas ruas do bairro pregando a palavra católica. Alguns poucos pedestres que circulavam se ajoelharam, e outros acenaram das janelas.

“No meio de tantas notícias tristes, senti que levei um alento à minha comunidade. As pessoas estão carentes de Jesus”, contou o padre Alexandre, de 42 anos. O religioso relatou que os fiéis respeitaram as determinações de que não houvesse aglomeração e ninguém acompanhou a procissão. Alguns poucos pedestres que circulavam se ajoelharam, e outros acenaram das janelas.

+ Barra e Leblon são os bairros com mais casos de covid-19

Continua após a publicidade

A ação fez sucesso e o padre Alexandre não para de receber mensagens de elogio pelas redes sociais. No entanto, o religioso afirma que outras bênçãos como essa não estão previstas, já que ele tem que respeitar as determinações da Arquidiocese do Rio, que suspendeu a realização de missas e procissões.

+ Equipe de saúde da prefeitura pode ter mais uma pessoa contaminada por coronavírus

“A humanidade já passou por muitas moléstias, e essa também vai passar. Deus não nos abandona. Jamais”, afirmou o padre Alexandre.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade