Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Vacina da Fiocruz tem eficácia de 82% após 2ª dose, diz estudo

Intervalo entre as aplicações teria de ser de doze semanas. Os dados foram publicados em artigo submetido à revista científica The Lancet

Por Carolina Barbosa 3 fev 2021, 13h09

Com um intervalo de doze semanas (ou três meses), a vacina contra o novo coronavírus a ser produzida pela Fiocruz em parceria com Oxford/AstraZeneca teria eficácia geral de 82,4% após a segunda dose. Com a primeira dose já se alcança 76%, diz um estudo divulgado em artigo, ainda na forma de preprint (ou seja, uma pré-publicação que passará pelo crivo de outros pesquisadores antes de se tornar definitiva), na revista científica The Lancet.

+Covid-19 no Rio: média móvel de mortes aponta tendência à estabilidade

“É uma informação importante que pode subsidiar decisões dos planos de vacinação, já que o número de vacinas disponível ainda é escasso em todo o mundo”, indica a Fiocruz em publicação em seu portal.

+Covid-19: Rio prevê vacinação de idosos acima de 75 anos para fevereiro

Para casos mais graves da doença, a eficácia foi de 100%, uma vez que não houve internações hospitalares. De acordo com os pesquisadores envolvidos, as análises iniciais divulgadas também sugerem que o impacto sobre a diferença de eficácia apresentada em estudo anterior estaria relacionado ao aumento do intervalo entre a aplicação das doses e não ao nível de concentração da dose aplicada. Os cientistas também relatam o potencial promissor da vacina em reduzir a transmissão do vírus, com base na carga viral avaliada em voluntários, com uma queda de 67% após a primeira dose do imunizante.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

Continua após a publicidade
Publicidade