Clique e assine por apenas 4,90/mês

COMER & BEBER 2017/2018: restaurantes na serra

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 28 jul 2017, 17h41 - Publicado em 28 jul 2017, 17h40

A edição especial VEJA COMER & BEBER Rio apresenta os melhores restaurantes da cidade. Abaixo, a seleção dos restaurantes na serra:

Alvorada: No elegante salão ou nas mesas dispostas sob árvores e à beira do rio, o negócio é comandado pelo casal Marcia e Paulão — ele é o chef da casa. A lista de clientes ilustres inclui, entre outros, a atriz Fernanda Montenegro e a chef Roberta Sudbrack. Somam-se ao cardápio fixo sugestões com produtos sazonais anotadas em um quadro-negro que circula pelas mesas. Da primeira lista, é bom começo o patê da casa (R$ 38,00), servido com pães de fermentação natural feitos na casa. O lá na serra traz porco desfiado após passar pelo forno a lenha, recheando pétalas de cebola assada sobre creme de aipim (R$ 88,00). Trata-se do prato da Associação de Restaurantes da Boa Lembrança — quem o escolhe ganha um prato de cerâmica. O pato com legumes assados (R$ 90,00) é outra pedida atraente. Das sobremesas (R$ 32,00 cada uma), escolha entre crepe de maracujá e profiteroles. Dica: nos fundos do restaurante funciona o Espaço Cria, empório onde são vendidos pães de fermentação natural próprios, queijos artesanais e cervejas especiais.

+ Os melhores restaurantes de carne em rodízio

…lá,:Para chegar é preciso encarar uma estradinha de terra. O restaurante fica em um amplo e arejado galpão ao lado da casa dos proprietários Marcelo Vidal e Bebeto Felipe — esse, o chef. Antes de se acomodar no ambiente com lareira, mesas espaçadas, sofás e poltronas, curta o clima bucólico. Aproveite para dar uma volta e conhecer a horta de onde saem muitos dos vegetais usados nos pratos. O menu é sazonal. Um bom caminho é a fórmula de entrada, prato principal e sobremesa por R$ 134,00. Em separado, as entradas custam R$ 38,00, os principais, R$ 85,00, e as sobremesas, R$ 31,00. Apesar das mudanças constantes, um prato segue fixo, a pedidos. Trata-se do nhoque “nude” de bacalhau. Sugestão que não leva batata na massa, a receita é uma delícia e pode chegar no molho de tomate ou na manteiga ghee com sálvia. Na sobremesa, há sorvetes produzidos na casa, de sabores como quindim salpicado por coco tostado com flor de sal, doce de leite com requeijão ou laranja. A carta de vinhos é enxuta, mas não há cobrança de taxa de rolha para quem levar a própria garrafa.

Continua após a publicidade
2-Locanda-1101
Locanda Della Mimosa Divulgação/Divulgação

Locanda della Mimosa: Na região do Vale Florido, entre Itaipava e Petrópolis, a propriedade tem vinte suítes repletas de charme e conforto. Não é preciso ser hóspede para aproveitar a grande atração: o festejado restaurante comandado pelo italiano Danio Braga. A opção ideal para conhecer seu trabalho é o menu confiança (R$ 260,00), com couvert, amouse bouche, entrada, dois pratos e sobremesa. No cardápio à la carte há excelentes opções de massa fresca. Um bom exemplo é o canelone de creme de queijo de cabra com camarão ao molho do crustáceo com tomate e manjericão (R$ 88,00). Entre os pratos de carne, escolha o lombo de cordeiro com molho de especiarias e cuscuz ou o ótimo leitão de leite assado com cebolas carameladas, molho de laranja e cravo. Ambos custam R$ 118,00. A fantástica adega, com cerca de 600 rótulos, guarda o Riondo Castelforte Corvina Veronese (R$ 119,00) e o Fratelli Barba Vasari Montepulciano (R$ 130,00), dois ótimos tintos italianos. Atenção: para visitas de segunda a quinta-feira, é preciso fazer reserva com doze horas de antecedência.

Nas Videiras: Destino concorrido, o Vale das Videiras, em Araras, soma a tranquilidade de suas paisagens com variadas opções gastronômicas. Na segunda lista, brilha o salão confortável instalado em um armazém de madeira, vidro e ferro. O cardápio é assinado pelo italiano Nicola Giorgio, sócio de cinco casas no Rio: La Terrazza, Duo, Duo Trattoria, Uniko e Bottega del Vino. No clima ameno da Serra, é bom começo a polenta mole com gorgonzola e cogumelos (R$ 38,00). Um dos pratos principais mais festejados, o turnedô de filé com manteiga de ervas e alho negro, ladeado por risoto de parmesão, custa R$ 74,00. Entre as massas figura um ótimo ravióli de pato ao molho de laranja (R$ 60,00). Feitas com farinha 00 italiana, as pizzas também atraem fãs. Em tamanho único, há coberturas como a gamberi (R$ 68,00), de camarões, alho-po­ró e mascarpone, ou a vegetariana (R$ 52,00), que combina mussarela, berinjela, abobrinha, pimentão e champignon. A enxuta carta de vinhos elenca rótulos atraentes, a exemplo do chileno Tabali Reserva Cabernet Sauvignon (R$ 122,00).

+ Os melhores restaurantes peruanos

Parador Lumiar: Refúgio dos cariocas, a serra fluminense tem entre seus atrativos paisagens bucólicas e, cada vez mais, a boa mesa. Na região, influências variadas compõem um cardápio respeitável. As opções vão da rusticidade do preparo a lenha às tendências da culinária contemporânea. Diante desse cenário, exuberante também nos fogões, o júri do COMER & BEBER volta a eleger o melhor restaurante da serra: o vencedor fica em meio ao verde da pousada Parador Lumiar, em Nova Friburgo, pedaço do paraíso administrado pelo casal Marcelo e Marielza Fontes. No menu, quem manda é Isaias Neries. Pupilo da chef Flávia Quaresma, dono de estilo intuitivo, o mestre-cuca cria combinações surpreendentes. Verduras e legumes cultivados na imensa horta orgânica local são seu trunfo. Abastecem saladas de sabor único, a exemplo da que reúne morango, manga, laranja, palmito, tomate-cereja, rúcula, agrião, alface lollo rossa (de folhas bem crespas), carvalho, beldroega (um tipo de erva) e vinagrete de linhaça dourada (R$ 29,00). Entre as massas, sempre coloridas, o nhoque de folha de anis ao molho de queijo de cabra custa R$ 44,00. A ousadia chega à sobremesa, e compensa. Prova disso é o delicioso bolinho de jiló e macadâmia com baba de moça e água de coco (R$ 22,00). Dica: aos sábados é servida, na forma de bufê (R$ 74,00), uma ótima feijoada preparada no forno a lenha.


Pousada da Alcobaça:
Antiga, a casa de estilo normando tem azulejos hidráulicos, treliças com trepadeiras e painéis de madeira, além de móveis vintage. Onze apartamentos confortáveis recebem os visitantes na propriedade cercada de verde, com encantador jardim e ninfeias em um lago. Neste cenário, funciona o festejado restaurante da pousada, comandado pela proprietária Laura Góes, 86 anos. Pratos triviais, muitos preparados com insumos cultivados lá mesmo, ganham um tempero fora do comum. Abra os trabalhos com o patê da casa (R$ 35,00). Delicioso, o camarão à baiana chega com arroz e farofa de dendê para acompanhar o molho aromático (R$ 99,00). Pratos como o mignon ao molho de mostarda (R$ 98,00) e a truta com amêndoas (R$ 91,00) ganham acompanhamentos à escolha. Legumes da horta, arroz de passas e farofa de banana são algumas opções. Sábado é dia de feijoada completa (R$ 89,00) e domingo, de costela de porco assada com frutas (R$ 89.00). São sobremesas sem defeito o doce de coco do engenho (R$ 23,00) e a torta gelada de damasco (R$ 29,00). É preciso fazer reserva.

Publicidade