Clique e assine por apenas 4,90/mês

Bar Bukowski coleciona histórias curiosas em 20 anos de boemia

Famoso bar em Botafogo será tema de um documentário

Por Rafael Sento Sé - 3 nov 2017, 13h00

No momento em que casas do ramo vêm fechando as portas, o Bar Bukowski celebra duas décadas de boemia. Batizado com o sobrenome do escritor maldito Charles Bukowski (1920-1994), o negócio mudou de endereço quatro vezes, sem se afastar de Botafogo nem de um estilo amalucado de administração, que sempre rendeu boas histórias. O folclore local já inspirou livro, escrito pelo poeta e compositor Bernardo Vilhena, e, em breve, vai abastecer um documentário. Confira, na lista abaixo, alguns dos muitos causos que tiveram o Bukowski como cenário.

› Um grupo que festejava aniversário pediu para tocar funk. Seus integrantes tiveram o dinheiro da entrada devolvido e o táxi pago para um lugar mais apropriado

› Keith Richards, sim, o guitarrista dos Stones, visitou a casa em 2006

› Os dezessete anos do Bukowski foram celebrados com show do astro punk americano Marky Ramone, contratado durante um porre homérico com o “irresponsável” pelo marketing

› Em outra noite de bebedeira, os funcionários sortearam um cliente para gerenciar o bar

› Os presentes podem pegar livros emprestados em uma geladeira desativada, na minibiblioteca

Continua após a publicidade
Publicidade