Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Teatro de Revista Por Blog Espetáculos, personagens, bastidores e tudo mais sobre o que acontece na cena teatral carioca, pelo olhar do crítico da Veja Rio

Beije Minha Lápide ganha sessões extras no Dulcina

Um dos melhores espetáculos do ano (agraciado com cinco estrelas, a cotação máxima, em VEJA RIO), Beije Minha Lápide, com Marco Nanini, ganhou duas sessões extras no Teatro Dulcina: quarta e quinta, às 19h. A trama é inspirada em uma história real: em 2011, a administração do cemitério de Père-Lachaise, em Paris, resolveu instalar uma barreira de […]

Por rafaelteixeira Atualizado em 25 fev 2017, 18h30 - Publicado em 21 out 2014, 16h57

Um dos melhores espetáculos do ano (agraciado com cinco estrelas, a cotação máxima, em VEJA RIO), Beije Minha Lápide, com Marco Nanini, ganhou duas sessões extras no Teatro Dulcina: quarta e quinta, às 19h. A trama é inspirada em uma história real: em 2011, a administração do cemitério de Père-Lachaise, em Paris, resolveu instalar uma barreira de vidro em torno do túmulo do dramaturgo irlandês Oscar Wilde (1854-1900), para protegê-lo de um curioso hábito dos visitantes, de beijar a lápide com a boca lambuzada de batom vermelho. A partir daí, o autor Jô Bilac concebeu a história do escritor Bala (Nanini), admirador da obra de Wilde, que é preso por quebrar a proteção que envolvia a sepultura de seu herói. Paulo Verlings, Carol Pismel e Júlia Marini completam o elenco, dirigido por Bel Garcia.

As sessões normais são de sexta a domingo, também às 19h. Vale lembrar que a temporada termina no domingo (26).

Publicidade