Imagem Blog

Confesso que Comi

Por Blog
Blog de gastronomia
Continua após publicidade

Morre o Sr. Ohara, fundador do Azumi

O empresário lutava há sete meses contra um câncer no maxilar

Por Fábio Codeço Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 9 Maio 2018, 14h18 - Publicado em 9 Maio 2018, 12h40

Um dos restaurantes japoneses mais tradicionais do Rio, o Azumi perdeu seu patriarca. Isao Ohara faleceu no último dia 02 de maio, aos 78 anos. Ele estava em Tóquio, onde lutava há sete meses contra um câncer no seio maxilar. O sepultamento ocorreu na própria capital japonesa. A casa, que no próximo dia 23 completa 29 anos, seguirá aos cuidados da família, que já trabalhava com ele, tendo a filha, Alissa, à frente. Ela escreveu: O Azumi é a nossa maior herança e estaremos juntos de nossos clientes e amigos, oferecendo, como sempre, o melhor, com força, muito trabalho e dedicação. O restaurante era parte da vida do meu pai e manter o seu legado é a mais importante homenagem que toda a família e equipe da casa pode prestar. Obrigada a todos pelo carinho, e, ao meu pai, por todos os ensinamentos de vida que me enriqueceram como ser humano e profissional”

Nascido em Tóquio, mas criado em Azumi – região central do Japão que acabaria batizando seu negócio -, Isao Ohara chegou ao Brasil em 1963. Mas, antes de desembarcar no Rio, viveu no Mato Grosso do Sul, onde se dedicou por quase cinco anos à agricultura, especialmente café. Acabou perdendo tudo ao sofrer um golpe, condição que o levou a se mudar com a família para São Paulo. Mas foi na capital fluminense que os Ohara encontram vida melhor. Já na cidade, o patriarca criou uma bem-sucedida empresa de importação e exportação de minério que durou 35 anos. Apreciador da boa mesa, e sentindo a necessidade de mudar o rumo dos negócios, decidiu abrir um restaurante para oferecer aos imigrantes uma cozinha japonesa mais genuína. Embora as receitas tenham passado por pequenas adaptações ao longo dos anos, é ali que ainda se come a mais autêntica culinária nipônica da cidade.

Descanse em paz, Sr. Ohara. E vida longa ao Azumi.

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.