Prefeitura suspende uso do pavilhão pela Feira de São Cristóvão

Riotur informou medida temporária deve ser revertida na próxima segunda (29)

São Cristóvão São Cristóvão

São Cristóvão (Pedro Kirilos/Riotur)

A prefeitura do Rio cancelou nesta sexta (26) o contrato que permitia o uso do Pavilhão de São Cristóvão pela Centro Luiz Gonzaga de Tradição Nordestinas. A medida consta na página 46 da edição do Diário Oficial do Município.

A Riotur informou que a medida é temporária e deve ser revertida em breve. Segundo o órgão, a rescisão do contrato se deve ao fato da associação que toca hoje a Feira de São Cristóvão não ter um gestor oficial responsável por esse contrato, entre outros regras que não vinham sendo cumpridas.

De acordo com a Riotur, um chamamento a ser publicado já na próxima segunda (29) irá instituir uma comissão eleitoral que ficará responsável pela escolha de um grupo irá gerir a feira nos próximos meses, prevista para acontecer dentro de 45 dias. “Durante este período, a Riotur continuará executando seu trabalho de administração do Pavilhão, através de seus servidores, garantindo o pleno funcionamento deste importante espaço cultural e de interesse turístico da cidade do Rio de Janeiro”, afirmou o órgão em nota divulgada pela imprensa.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Ou seja terra de ninguém.Cara do Rio chiqueiro.