Pesquisa encontra superbactéria nas praias da Zona Sul

Pesquisa foi realizada entre setembro de 2013 e setembro de 2014 em Ipanema, Leblon, Copacabana, Flamengo e Botafogo

Um dos programas favoritos do carioca, o mergulho no mar se mostrou também bastante perigoso. É o que revela estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que identificou a presença da superbactéria Klebsiella pneumoniae Carbapenemase (KPC) nas praias de Copacabana, Ipanema e Leblon.

+ Aeroporto Tom Jobim tem mais mudanças para a Olimpíada

Entre setembro de 2013 e setembro de 2014, pesquisadores coletaram dez amostras em cinco praias – Flamengo e Botafogo, conhecidas por serem impróprias para banho, também foram analisadas. Apesar de o estudo ter sido feito há dois anos, a pesquisa só foi concluída em 2016 e, de acordo com os especialistas, a situação da água continua a mesma.

O trabalho mostra ainda uma relação entre a condição do mar e o saneamento básico na região. O Inea afirmou que não foram detectadas superbactérias no ambiente. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s