Clique e assine por apenas 4,90/mês

Volta às aulas: apenas duas regiões do estado do Rio não estão liberadas

Os municípios que estão com a bandeira amarela, entre eles a capital, estão liberados a retornar, segundo a Secretaria Estadual de Saúde

Por Bruna Motta - 16 set 2020, 14h57

O imbróglio que envolve as voltas às aulas não está presente apenas na capital do Rio. De acordo com a classificação feita pela Secretária Estadual de Saúde, duas regiões ainda estão em situação laranja, o que indica risco moderado de contaminação da Covid-19. A Baía de Ilha Grande e o Noroeste totalizam 15 cidades do estado. Nestes locais, foi apresentado alto índice de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave.

+Fumaça de queimadas no Pantanal chega ao Rio nesta sexta (18) 

Já na Região Metropolitana, que inclui a capital, a taxa de 1,2% leva os municípios a bandeira amarela. Considerado baixo risco para contaminação, essa classificação permitiria, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o retorno às escolas. Mesmo com a liberação do governo, o desembargador Peterson Barroso Simão, do Tribunal de Justiça (TJ), determinou que a rede particular de ensino na cidade do Rio continue fechada. O magistrado considerou que o retorno das escolas particulares antes da rede pública fere o princípio da isonomia.  A prefeitura do Rio ainda não definiu a data do retorno.

+Escola Nova e colégios fecham e aguardam decisão sobre volta às aulas 

O estado está com 96% da população fluminense concentrada nos lugares considerados de baixo risco. A pior situação em relação à incidência de casos é a região Noroeste – que engloba os municípios de Varre-Sai, Porciúncula, Natividade, Itaperuna, Bom Jesus do Itabapoana, Laje do Muriaé, Miracema, São José do Ubá, Cambucí, Santo Antônio de Pádua, Aperibé e Itaocara.

+Justiça do Rio reforça suspensão de aulas na rede privada da capital 

Para a classificação feita pela Secretaria estadual de Saúde, são considerados os indicadores de taxa de positividade de pacientes testados para coronavírus. É realizado um sistema de pontuação. No caso da bandeira amarela, com a soma de seis pontos é considerado baixo o risco de contágio.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade