Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Vanessa Braun promove passeios culturais com idosos

A publicitária criou o Rio Gentil, que apoia idosos internos de uma casa de repouso

Por Heloiza Gomes Atualizado em 5 dez 2016, 11h07 - Publicado em 20 ago 2016, 01h00

O projeto tomou forma durante as aulas de pós-graduação em comunicação e imagem. Como trabalho final do curso, a publicitária Vanessa Braun, 42 anos, decidiu montar uma empresa fictícia. Nascia ali o Rio Gentil, iniciativa solidária de apoio à terceira idade. “Eu tinha vontade de trabalhar com idosos havia muito tempo. Conforme punha as ideias no papel, ia percebendo sua viabilidade”, conta. Entre amigos, Vanessa montou um grupo de voluntários há pouco mais de um ano. O passo seguinte foi fazer contato com diversos asilos da cidade. Essa foi a parte mais difícil. “Não encontrei nas instituições muita gente disposta a ajudar. Além disso, esbarramos em bastante burocracia”, lembra. A boa vontade necessária para eliminar os obstáculos surgiu na figura de uma assistente social da Casa Betânia, no Jardim Botânico. Desde então, a criadora do Rio Gentil e vinte entusiasmados voluntários revezam-se e, uma vez por mês, levam idosos daquele retiro na Zona Sul para assistir a espetáculos teatrais, balé e sessões de cinema, entre outros passeios gratuitos. Com a experiência de publicitária, a líder do grupo procura parcerias para conseguir ingressos e transporte de graça. “Quando não dá para ter uma van, dividimos todos pelos carros dos voluntários mesmo. O importante é que seja bacana para eles”, diz.

“A alegria deles é gratificante e mudou minha relação com a vida”

Nas excursões, sempre com a presença de um auxiliar de enfermagem da Casa Betânia, sobra empolgação. “Ao longo do percurso, eles vão cantando, contentes, e essa é a parte boa, já que nosso objetivo é tirá-los da solidão, do isolamento”, comemora Vanessa. Os próprios participantes, uma turma de pouco mais de dez idosos entre 75 e 107 anos, sugerem novos programas — como a subida ao Cristo Redentor, realizada em julho. O Rio Gentil ainda não foi constituído juridicamente, mas segue em frente movido pelo ânimo de seus integrantes. “A alegria deles é gratificante e mudou minha relação com a vida. A gente tem de fazer logo o que quer porque, com a passagem dos anos, a saúde vai sumindo, as expectativas tornam-se menores, vamos perdendo pessoas”, observa a idealizadora da empreitada. Quem quiser fazer parte dessa história pode entrar em contato através da página do Rio Gentil no Facebook.

+ Daniel Sant’Anna dá aulas de violão a jovens carentes

+ Rainha de bateria da Mangueira recolhe doações para moradores de rua

Continua após a publicidade

Publicidade