Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O desrespeito continua: festas clandestinas são fechadas no fim de semana

As três ocorriam nas Zonas Norte e Oeste, uma delas com 1 000 pessoas

Por Redação Atualizado em 2 ago 2021, 11h57 - Publicado em 2 ago 2021, 11h55

Segue o desrespeito pela cidade em plena pandemia do novo coronavírus que, vale ressaltar, ainda não acabou. Em mais um fim de semana, o Rio registrou festas clandestinas, aglomeração e pessoas desrespeitando as regras de distanciamento social. 

+Saúde mental: vencer ou ser feliz?

Em Madureira, na Zona Norte, uma festa clandestina em um bar, com 300 pessoas, segundo relatos de fiscais da Secretaria de Ordem Pública (Seop) foi fechada pela prefeitura na noite de domingo (1º). Além da aglomeração, por si só uma irregularidade, os protocolos da Vigilância Sanitária também foram desrespeitados na ocasião. Sem contar que a maioria do público não usava máscara.

Outras duas festas também foram encerradas pela prefeitura. Uma delas, no sábado (31), na Ilha dos Pescadores, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste (a da foto acima), com cerca de 1 000 pessoas, cujo estabelecimento foi interditado e autuado pela Vigilância Sanitária por aglomeração e por público fumando em ambiente fechado.

+Maracanã terá 10% do público na partida do Flamengo na Libertadores

A outra, por sua vez, acontecia em um sítio na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, também Zona Oeste neste domingo (1º), com cerca de 500 convidados. Os agentes deixaram o local após a saída de todo o público presente. Ambos os eventos foram detectados através de denúncias registradas por cidadãos na Central 1746 e confirmadas pelo setor de inteligência da Seop. Desde o início do ano, 154 festas e eventos clandestinos já foram encerrados em toda a cidade.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade