Clique e assine por apenas 4,90/mês

Secretaria de Meio Ambiente inicia obras de revitalização da Lagoa

Cronograma municipal, que começou com a reforma dos deques nos espelhos d'água, inclui investimento de R$ 100 milhões para obra de despoluição

Por Carolina Barbosa - 18 fev 2020, 18h06

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente deu início, no último dia 10, à ampliação de um programa de revitalização da Lagoa Rodrigo de Freitas. Divididas em quatro etapas, as obras começaram pela reforma de sete deques no espelho d’água do cartão-postal e seguirão pela recuperação da vegetação das margens, no valor de R$ 4,5 milhões, que serão bancados por compensação ambiental, portanto, sem dinheiro de orçamento público. O projeto prevê ainda a reforma do mobiliário, a intensificação da fiscalização usando robôs para flagrar ligações clandestinas de esgoto na rede pluvial que desemboca na Lagoa e, por fim, a despoluição propriamente, que exigirá investimentos da ordem de R$ 100 milhões.

Os deques da Lagoa: reforma já iniciada Secretaria Municipal de Meio Ambiente/Divulgação

“A força-tarefa para a recuperação ambiental da Lagoa Rodrigo de Freitas é um esforço de mobilização conjunta, do poder público e da sociedade, que precisa de todo o empenho para atingir os resultados incríveis que estamos almejando”, afirma o secretário Bernardo Egas. Em março, ele vai pedir o licenciamento ambiental para a obra e solicitar a elaboração do projeto executivo.

Veja abaixo as etapas do projeto:

Etapa 1

Continua após a publicidade

PRESERVAÇÃO DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ENTORNO DA LAGOA

Na 1ª fase, já iniciada, o programa implementa a requalificação das Unidades de Conservação do entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, através de análise ambiental apoiada em geoprocessamento e no estudo da legislação vigente com o objetivo de implementar e otimizar os instrumentos de gestão e ordenamento territorial de proteção dos ativos ambientais. O monitoramento por satélite será publicado no site, para acompanhamento de todos, impedindo desmatamentos e permitindo ações rápidas quando necessárias.

Etapa 2

RECUPERAÇÃO DA ORLA DA LAGOA

Continua após a publicidade

A 2ª etapa contempla a recuperação ambiental da orla Lagoa e tem como objetivo resgatar as áreas de lazer compostas pelas áreas verdes do seu entorno, como árvores, arbustos e gramíneas, assim como melhorar a infraestrutura do local por meio da reabilitação dos deques do entorno. Esta fase do projeto contemplará a manutenção, conservação e ampliação de oito deques do entorno da Lagoa de Rodrigo de Freitas e a recuperação da vegetação, através de atividades de plantio e enriquecimento da flora assim como a manutenção dos manguezais.

Etapa 3

PLANO DE FISCALIZAÇÃO DO DESPEJO DE ESGOTO

Esta fase do projeto visa o estabelecimento de um Plano de Fiscalização e Combate à Poluição Hídrica na Lagoa de Rodrigo de Freitas. O foco principal é o mapeamento de pontos de despejo de esgoto nas galerias de águas pluviais da região (que encaminham águas da chuva para o espelho d’água da lagoa), a partir de trabalho de inteligência de uma equipe técnica em conjunto com a Fundação Rio-Águas. Além do trabalho de campo, serão utilizadas ferramentas de georreferenciamento, cadastros de redes subterrâneas, como o sistema de drenagem e esgoto. Desta forma, será possível para o poder público tomar medidas a fim de interromper as ligações e despejos irregulares de esgoto, responsabilizar os causadores do dano ao meio ambiente e possibilitar o efetivo combate à poluição hídrica do sistema lagunar.

Continua após a publicidade

Etapa 4

DESPOLUIÇÃO

A revitalização da Lagoa Rodrigo de Freitas apenas estará completa com sua despoluição. Baseado nos estudos do Prof. Paulo Cesar Rosman, da COPPE/UFRJ, o projeto é complexo. Em síntese, prevê a construção de dutos subterrâneos, ligando a lagoa ao mar, o que aumenta a troca de água e favorece a oxigenação. O sistema seria composto de quatro tubulões subterrâneos, com 2,6 metros de diâmetro, estendendo-se até 200 metros, mar adentro, sem utilização de bombas, usando apenas a maré para puxar e empurrar a água. Com a obra finalizada, em 30 dias 90% da água da lagoa seria trocada. A realização da despoluição da Lagoa Rodrigo de Freitas, com base no projeto citado, exigirá recursos da ordem de US$ 30 milhões, e para a obtenção dos recursos necessários, será realizado um esforço para captação de recursos nacional e internacionalmente.

Publicidade