Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Os rocks que marcaram o Rio

A pedido de VEJA RIO, cariocas e músicos ilustres apontam as canções do rock que marcaram a cidade. Veja as indicadas

Por Louise Peres Atualizado em 5 dez 2016, 14h20 - Publicado em 12 jul 2013, 20h58

Quando se fala em Rio e música, o samba é o primeiro ritmo que vem à mente. Outros estilos, no entanto, também fizeram e fazem parte da história carioca. O rock, sem dúvida, é um deles. ?É engraçado dizerem que o rock morreu, mas ele tá aí e ao mesmo tempo em que várias bandas de garagem estão ensaiando aí, trancadas, e algum momento vão explodir e cair no mainstream?, diz o baterista João Barone, que com Os Paralamas do Sucesso fez parte do movimento que deu início à construção de um rock genuinamente carioca.

A banda, aliás, é uma das atrações do show que acontece neste sábado (13), na Fundição Progresso, dia em que o mundo inteiro celebra o Dia Internacional do Rock. ?É uma oportunidade de fazer uma autocrítica, rir um pouco da gente mesmo e participar dessas coisas institucionalizadas. No fim das contas, é sempre bom celebrar e assoprar uma velinha para o Elvis?, brinca o baterista dos Paralamas, que ao lado das bandas Biquini Cavadão e Plebe Rude vai agitar a Lapa no evento promovido pela MPB FM. Saiba mais na coluna Shows.

Aproveitando a data, convocamos personalidades da cena musical da cidade para montar uma seleção roqueira com a cara do Rio. O resultado foi uma seleção eclética, com clássicos do rock nacional, faixas estrangeiras e músicas que sem dúvida marcaram a cidade. E que, até hoje, continuam embalando as noites dos amantes do bom e velho rock n? roll. Confira abaixo.

Tempo Perdido, Legião Urbana

Indicada por Bruno Gouveia, vocalista do Biquini Cavadão

?Essa música é uma faz minhas favoritas do Legião e marcou o final de 1985 e o comecinho de 86. Era a época em que eles estavam começando a se tornar a grande banda de rock nacional. Tínhamos acabado de passar pela abertura, pelas Diretas Já, e havia muita incerteza sobre como seria a nossa caminhada política. Essa letra traz muito essa mensagem. Assisti a um show deles no Circo da coxia. A plateia lotada, emocionada, todo mundo com um um certo medo do futuro que nos esperava?, lembra o cantor de 46 anos, morador de Copacabana desde os quatro.

Você Não Soube Me amar, Blitz

Indicada por Fernanda Abreu

?É a cara da pós-ditadura, da abertura política, da efervescência cultural jovem do Rio no início dos anos 80. Tem tudo a ver com a cidade e foi emblemática para o Rio naquele momento?, justifica a cantora.

Nós vamos invadir a sua praia, Ultraje a Rigor

Indicada por João Barone, do Paralamas do Sucesso

?De cara, lembro de Areias Escaldantes, do Lulu Santos, que remete imediatamente à praia. Mas, cimentando e reafirmando o rock brasileiro, essa canção do Ultraje faz essa grande crítica ao Rio como ?capital cultural? do Brasil, um rock meio de bermuda?, avalia o baterista.

Polícia, Titãs

Indicada por Marcelo Janot, crítico e dj

?O rock que melhor define o Rio neste momento é essa música dos Titãs. O refrão ?polícia para quem precisa? diz tudo. Marcou época e, hoje, nenhum outro rock define melhor nosso estado do que ela?.

Continua após a publicidade

Rock around the clock, Bill Haley and His Comets

Indicada por Ricardo Amaral

?A marca registrada da cidade não é o rock. E, na época em que o gênero surgiu, na década de 50, parecia mais um modismo musical que ficaria limitado no tempo. Mas ficou. Na minha cabeça, nada mais marcou do que o Bill Haley e seus cometas, com essa música que é o hino do rock. Esse cara veio em uma turnê ao Brasil que foi uma loucura, no auge do sucesso, em 1958, e eu fui ao show. Essa memória que eu tenho daquela época é a mais forte ?, recorda o empresário.

Exagerado, Cazuza

Indicada por Roberta Medina

?É a atitude do carioca, entregue para a vida, espontâneo, feliz, amigo. Acho que essa música tem muito a ver com essa espontaneidade, a intensidade com que se vive a cidade. Traz em si uma coisa do carioca que é essa autenticidade, presente não só na música mas no próprio ícone que é o Cazuza. Ele não tinha vergonha de ser quem ele era, e o carioca tem isso?, filosofa a vice-presidente do Rock in Rio.

Lanterna dos Afogados, Paralamas do Sucesso

Indicada por Rodrigo Penna

?Além da versão original dos Paralamas, banda com a qual me identifico, tem uma tão incrível quanto gravada pela Cássia Eller. Onde toca, todo mundo canta”, conta oDJ e sócio do Barzinho, na Lapa.

Pro Dia Nascer Feliz, Cazuza

Indicada por Toni Platão

?É uma música que está muito presente no estouro do rock no Brasil e no Rio. Uma canção muito carioca e que marcou de um jeito muito forte a primeira edição do Rock in Rio, em 1985. O que essa música diz é muito carioca, tem muito a ver com quem vive aqui?, afirma o cantor.

Wild Horses, Rolling Stones

Indicada pelo músico e trilheiro Zé Márcio Alemany

?O show dos Stones em 95 foi sensacional, com a turnê Voodoo Lounge. Foi a primeira vez que eles estiveram aqui, no Maracanã, e essa noite me lembra Wild Horses. A execução dessa música foi demais. Eles fizeram dois, shows, um na quinta e um no sábado, com setlists diferentes. Fui aos dois, e ambos foram muito distintos e incríveis. Memorável, um dos maiores shows de grandes bandas aqui no Rio?, lembra Alemany, gerente da Rádio Ibiza e responsável pelas trilhas sonoras de dezenas de restaurantes da cidade.

Continua após a publicidade
Publicidade