Clique e assine por apenas 4,90/mês

Rio é a capital do sudeste com maior índice de pessoas deficientes

Violência e alto número de idosos contribuem para o índice

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 4 jul 2018, 17h42 - Publicado em 3 jul 2018, 15h32

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Pereira Passos (IPP), órgão ligado à Casa Civil da Prefeitura do Rio de Janeiro, uma em cada quatro pessoas do Rio de Janeiro têm algum tipo de deficiência ou algum tipo de mobilidade reduzida, seja motora ou intelectual. Além dos fatores congênitos, acidentes e disfunções, a violência urbana e o elevado percentual de idosos contribuem para manter o índice acima da média nacional.

Ainda segundo o estudo, que considera o último censo do IBGE, cerca de 25 % da população carioca – equivalente a 6,32 milhões de habitantes – estão enquadrados nessa categoria: são mais de 1,5 milhão de pessoas. Neste mês, o Riocentro receberá o Mobility & Show, evento com exposição de equipamentos e serviços em geral para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. A programação acontecerá do dia 27 a 29.

Os organizadores esperam receber de 6 a 8 mil visitantes e realizar cerca de 800 test-drivers em veículos adaptados com instrutores treinados. Além disso, o evento terá várias atividades, como simulador 5D, óculos que leem texto para pessoas com deficiência visuais ou baixa visão, impressora 3D para próteses, isenção de impostos para compra de carros 0 Km, apresentações e oficinas artísticas, atividades esportivas, apresentações musicais e outras.

 

Publicidade