Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Rio registra mais de 12 000 ações para coibir aglomerações no carnaval

As operações de fiscalização se iniciaram na sexta de carnaval (12) e foram concluídas nesta segunda (22)

Por Agência Brasil Atualizado em 23 fev 2021, 12h33 - Publicado em 23 fev 2021, 12h21

Mais de 12 000 ações foram registradas pela prefeitura do Rio de Janeiro no período em que seria realizado o carnaval – da sexta, 12, até as 6h desta segunda, 22.

Nas operações conjuntas que visavam coibir aglomerações no período, efetuadas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) com a Guarda Municipal, Instituto de Vigilância Sanitária e apoio da Polícia Militar, foram contabilizadas 195 inspeções sanitárias, que resultaram em 149 autos de infração e multas e 45 interdições em estabelecimentos. Descumprimento das medidas de proteção à vida e outras irregularidades, como falta de licenciamento, foram os motivos das multas.

+ Venda de bebidas alcoólicas no Rio aumentou quase 40% em 2020

Guardas municipais constataram 464 infrações sanitárias por aglomeração e falta de máscara, totalizando 613 multas. Na avaliação do secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale, o resultado foi positivo. “O tradicional carnaval carioca não existiu em 2021. Com nosso monitoramento e notificações prévias, também conseguimos impedir a realização de festas e eventos, que foram cancelados ou até mesmo transferidos para outros municípios. A maior dificuldade foi em pontos com registros de aglomerações antes mesmo desse período, mas não deixamos de fiscalizar esses locais, aplicando multas e interditando estabelecimentos”.

No espaço de dez dias, 43 comboios integrados pela Subsecretaria de Operações (Subop) da Seop fiscalizaram 64 locais de eventos em toda a cidade, dos quais 32 foram interditados por aglomeração ou indícios de festa clandestina. Além das inspeções e infrações sanitárias, a Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização (CLF) da Seop registrou 135 fiscalizações, com 29 autuações e onze interdições por alvará em desacordo ou por falta dele, e utilização de mesas e cadeiras em área externa sem autorização.

Continua após a publicidade

+ Rio 456 anos: Cacique de Ramos ganha homenagem em série documental on-line

Na fiscalização do comércio ambulante, a Coordenadoria de Controle Urbano (CCU) da Seop fiscalizou mais de 230 vendedores, multou 30 e preencheu 81 autos de apreensão de itens diversos, entre eles bebidas em garrafas de vidro, o que é proibido. Somando as apreensões da Vigilância Sanitária (16) em eventos e da Guarda Municipal (47), foram feitos no total 144 autos referentes a 13.910 itens levados para o depósito público de Bonsucesso, a maioria bebidas (13.066, sendo 8.366 alcoólicas). Equipamentos e caixas de som somaram 42 artigos recolhidos.

+ ‘Deise do Tombo’ faz vaquinha e compra casa para vizinha com câncer

Transportes

Até domingo (21), foram realizados 609 atendimentos ao cidadão com solicitações recebidas pela Central 1746, incluindo aglomerações e casos de perturbação do sossego. Ao todo, a GM efetuou 868 deslocamentos de equipes para verificar as denúncias, sendo que 541 foram constatadas em áreas públicas, 133 em estabelecimentos comerciais e 194 não foram confirmadas. Os agentes registraram, no período, 464 notificações de infração sanitária por aglomeração e pela falta do uso de máscara facial em via pública e no interior de estabelecimentos privados. Para conscientizar a população, foram realizadas ainda 126 ações com a transmissão de mensagens e alertas sonoros sobre a covid-19 em vários pontos do município.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

No mar

Desde sexta (12), a Guarda Marítima Municipal fiscalizou 258 embarcações de médio e grande porte, que sairiam a passeio com festas, na Marina da Glória e no Quadrado da Urca. No total, 24 responsáveis foram notificados por aglomeração, sete barcos tripulados foram impedidos de sair e 93 cancelaram passeios com festas programadas por desacordo ao Decreto 48.500, de 4 de fevereiro de 2021, que estabelece normas para o uso de áreas públicas e para o exercício de atividades econômicas. Agentes do Subgrupamento de Operações Náuticas participaram ainda de operações conjuntas com a Capitania dos Portos.

Continua após a publicidade
Publicidade