Clique e assine com até 65% de desconto

‘PSOL vai levar pedofilia às escolas com o Paes’, diz Crivella; veja vídeo

'Você não presta, pega sua fé e reza para não ser preso', rebate Marcelo Freixo; partido entrará com ação contra o prefeito

Por Cleo Guimarães Atualizado em 19 nov 2020, 20h03 - Publicado em 19 nov 2020, 20h02

Um dia depois de chamar João Doria de “viado” e “vagabundo” num evento na Barra – as imagens viralizaram nas redes -, Marcelo Crivella gravou novo vídeo (veja abaixo) com novos golpes abaixo da linha da cintura, desta vez tendo como alvo o PSOL e o candidato Eduardo Paes, com quem vai disputar o segundo turno, no próximo dia 29. Na mais recente pesquisa divulgada pelo Ibope, Paes aparece com 53% dos votos; Crivella, 23%.

Vídeo: Marcelo Crivella chama João Doria de ‘viado’ e ‘vagabundo’, assista

Sentado à mesa, em Brasília, ao lado do deputado Otoni de Paula (PSL), o prefeito, que tenta a reeleição, diz que se Paes for eleito nomeará o PSOL para a Secretaria da Educação – e que isso resultará em “pedofilia nas escolas”. “Tem um inimigo que se pudesse daria outra facada no Bolsonaro, que é o PSOL. O PSOL está com Eduardo Paes. O PSOL, dizem, vai tomar conta da Secretaria de Educação. Agora você imagina… pedofilia nas escolas. Eu fico imaginando um irmão meu, evangélico, batista, metodista, assembleiano, da Universal… Jesus disse pra nós que o Reino de Deus é das crianças. ‘Quem recebe uma criança, recebe a mim’. Jesus se comparou às crianças. E nós vamos aceitar pedofilia na escola no ensino infantil?”.

Os premiados de VEJA Rio Comer & Beber 2020

Em live transmitida no Instagram na noite desta quinta (19), o deputado federal Marcelo Freixo, principal nome do PSOL no estado, diz que Crivella “age de forma criminosa” e que entrará com uma ação contra ele. “Você vai responder na Justiça por esse vídeo patético. Você e esse seu amigo decadente, o Otoni de Paula, um péssimo deputado. Pega a sua fé e reza para não ser preso”. Freixo chamou o prefeito de “ser rastejante” e pediu para que ele se comporte “com um mínimo de decência nesse final de governo deplorável”.

Coronavírus: plano de saúde bate recorde de beneficiários internados

Continua após a publicidade
Publicidade