Clique e assine por apenas 4,90/mês

Prédio da Gama Filho está abandonado após falência

Espaço está sendo saqueado e servindo de moradia para usuários de droga e mendigos

Por Redação VEJA RIO - 18 jun 2018, 19h32

O prédio do antigo Campus da Universidade Gama Filho, na Rua Manoel Vitorino, em Piedade, está abandonado e, aos poucos, sendo destruído, depenado e servindo de abrigo para moradores de rua e usuários de crack. Tomado de mato e com muitas pichações, o espaço virou ponto frequente para ladrões e usuários de drogas, que roubam lâmpadas, fios de cobre e peças de metal para trocar por entorpecentes.

Segundo o administrador judicial da massa falida, que também inclui o Grupo Educacional Galileo e o Centro Universitário da Cidade, a UniverCidade, os recursos financeiros não são suficientes para vigiar a universidade. A prioridade foi dada à parte interna do Campus, onde ficam os documentos.

Além do impacto negativo que o fechamento da faculdade causou no comércio da região – lanchonetes e papelarias fecharam -, os moradores do entorno passaram a se preocupar com o aumento do fluxo de meliantes na rua da antiga faculdade. Nesta semana, uma picape foi vista pelos vizinhos deixando o prédio abandonado carregando bancos e cadeiras. Anteriormente, um freezer havia sido carregado por uma carroça.

Publicidade