Clique e assine por apenas 4,90/mês

Pezão lamenta aprovação de impeachment de Dilma

Em nota, o governador licenciado do Rio afirmou que decisão representa um atraso à democracia brasileira

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h22 - Publicado em 18 abr 2016, 13h45

O governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), lamentou “profundamente” a decisão da Câmara de aprovar a admissibilidade do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT).  Ele classificou a decisão como um “atraso à democracia” o prosseguimento do processo.

Pezão está afastado do cargo para tratar de um linfoma. “Não cabe a mim contestar o resultado da votação na Câmara, mas posso dizer que lamento profundamente a decisão, que representa um atraso à democracia do nosso país. Sempre me posicionei publicamente contrário ao impeachment da presidenta Dilma, que considero uma pessoa digna e honrada. Não acredito que seja esse o mecanismo mais adequado para ajudar o Brasil a vencer a crise e avançar como uma nação melhor. A presidenta Dilma foi eleita pelo voto democrático e isso deve ser respeitado”, diz a nota.

Já o governador em exercício, Francisco Dornelles (PP),  disse esperar que o Brasil encontre “clima de união” para enfrentar a crise. “A admissibilidade do processo de impeachment foi realizada dentro dos parâmetros previstos pela Constituição e sua aprovação pela Câmara tem de ser, agora, ratificada pelo Senado. Acredito que o Brasil atravessará uma fase difícil, venha o Senado confirmar ou não a decisão da Câmara. O importante é que o país encontre um clima de união para vencer os graves problemas que vive”,  completou.

Publicidade