Clique e assine por apenas 4,90/mês

Não foi a primeira vez que o Bondinho do Pão de Açúcar parou

Em 1935, uma batalha no entorno da Praia Vermelha atingiu o monumento e a espera pelo equipamento de reposição, trazido da Europa, demorou meses

Por Pedro Tinoco - Atualizado em 14 ago 2020, 19h25 - Publicado em 14 ago 2020, 07h00

As medidas anunciadas são as de praxe nos dias de hoje: uso obrigatório de máscaras, sinalização para orientar o distanciamento, incentivo à compra de ingressos on-line, diminuição do público, medição de temperatura e álcool, muito álcool 70, disponível em todos os cantos do parque.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Regras cumpridas, o Bondinho do Pão de Açúcar, depois de suspender a operação no dia 17 de março, volta a receber visitantes neste 15 de agosto. Foi a segunda vez, em 107 anos de atividade, que a atração ficou tanto tempo fora de operação.

+As novidades para a comemoração dos 10 anos da ArtRio

Na primeira, a culpa foi da Intentona Comunista, tentativa de tomada do poder deflagrada em 1935 que provocou uma batalha no entorno da Praia Vermelha. Revolucionários abrigados no 3º Regimento de Infantaria, aos pés do Morro da Urca, trocaram chumbo com tropas legalistas protegidas por barricadas montadas na Avenida Pasteur.

+A imagem da mulher negra com grilhão no pescoço e mordaça está diferente

Sobrou para o bondinho, que teve os cabos da Linha 1 (o primeiro trajeto da viagem turística, até o Morro da Urca) atingidos por disparo. A espera pelo equipamento de reposição, trazido da Europa, demorou meses. O passeio, desta vez, volta a funcionar de quinta a segunda-feira, das 10h às 19h.

Continua após a publicidade
Publicidade