Clique e assine por apenas 3,90/mês

Onda de calor: Rio tem sensação de 48°C e maior temperatura desde 2014

Termômetros marcam 43,6°C e sol forte leva cariocas a lotar as praias mais uma vez durante a pandemia; frente fria muda o tempo no sábado (3)

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 2 out 2020, 20h50 - Publicado em 2 out 2020, 15h57

A onda de calor que atinge boa parte do país chegou com força ao Rio. A cidade registrou nesta sexta (2) a maior temperatura máxima desde 2014, quando teve início a medição pelo sistema Alerta Rio, da Prefeitura. Os termômetros marcaram 43,6°C em Irajá. O recorde anterior era de 42,9°C, aferido na estação de Guaratiba, em dezembro de 2016. O dia mais quente neste ano de 2020 tinha sido o 30 de janeiro, no auge do verão: 41,8ºC.

Veja Rio Recomenda: novas exposições e shows e cinema ao ar livre

Como já era de se esperar, as praias ficaram lotadas hoje (sexta), apesar de o prefeito Marcelo Crivella ter prorrogado a proibição do banho de sol no Rio por tempo indeterminado. O uso e o aluguel de barracas e cadeiras na faixa de areia também continua vetado por decreto.

‘Formas diferentes de ostentar’: pesquisadora analisa barracos no Rio e SP

De acordo com o meteorologista Caê Mancini, a passagem de uma frente fria neste sábado (3) deve mudar o tempo na cidade. O sol volta a brilhar na terça (6). Já o Climatempo alerta que o ar quente continua a predominar sobre o Rio até o dia 10 de outubro. Do dia 11 em diante, a previsão é de um calor normal para esta época do ano, e não temperaturas extremas e em extensas áreas do país, como vem sendo observado desde o fim de setembro.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade