Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

O primo rico: Niterói é a cidade com a maior renda média do estado do Rio

Pesquisa da FGV aponta enorme desigualdade social no Rio, com renda média em Niterói dezesseis vezes maior que Japeri, na lanterninha do ranking

Por Carolina Barbosa 22 jun 2021, 12h30

Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas evidencia uma enorme desigualdade social no Rio. Embora o estado fluminense seja o terceiro com maior renda média do país (R$ 1720,70), atrás apenas de São Paulo e de Brasília, a disparidade entre os municípios é abissal.

+Deu samba: Liesa prevê para novembro evento-teste do Carnaval 2022 no Rio

De acordo com o levantamento, a renda média per capita, calculada com base nas declarações de imposto de renda das pessoas físicas, na cidade mais rica, Niterói, é cerca de 16 vezes maior que no município mais pobre (leia-se Japeri).

+Covid-19: Paquetá vacinará adolescentes entre 12 e 17 anos da ilha

Do outro lado da ponte, o primo rico, Niterói, na Região Metropolitana lidera o ranking com renda média de R$ 4 186,51. Na outra ponta da tabela, Japeri, na Baixada Fluminense, fica com R$ 259,63 per capita. As outras mais “pobres” são Tanguá, São Francisco do Itabapoana, Sumidouro, Varre-Sai e Belford Roxo.

As cinco mais ricas do estado (renda média por pessoa):
Niterói – R$ 4 186,51
Rio de Janeiro – R$ 2 898,46
Macaé – R$ 1 584,43
Petrópolis – R$ 1 492,37
Teresópolis – R$ 1 431,36

As cinco mais pobres (renda média por pessoa):
Japeri – R$ 259,93
Tanguá – R$ 292,57
São Francisco de Itabapoana – R$ 314,32
Sumidouro – R$ 321,31
Varre-Sai – R$ 353,22

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade