Continua após publicidade

Monumentos da discórdia

Arquitetos elegem as construções mais feias do Rio. E as mais bonitas também

Por Daniela Pessoa
Atualizado em 5 dez 2016, 16h11 - Publicado em 28 jun 2011, 18h09

Candidata ao título de Patrimônio Mundial da Humanidade, o Rio de Janeiro foi abençoado no quesito beleza natural. No que diz respeito à arquitetura, a polêmica é grande. A questão desperta inclusive a atenção do poder público. Tanto que em abril deste ano, o prefeito Eduardo Paes baixou um decreto determinando que a Secretaria de Urbanismo estude o impacto de novos prédios públicos, viadutos, pontes, estações de trem e qualquer item do mobiliário urbano sobre a paisagem da cidade. VEJA RIO ouviu trinta especialistas da área para saber quais são as obras-primas da arquitetura carioca (veja na galeria abaixo). E pediu também a opinião deles para eleger os mais feios, aqueles que poderiam sumir do mapa sem qualquer prejuízo ao mobiliário urbano (clique aqui para ver). Os votos deveriam levar em consideração os aspectos arquitetônicos e urbanísticos da construção e sua adequação à época em que foram erguidos.

Que outros monumentos deveriam ser banidos da paisagem da cidade? E o que faltou na lista dos mais bonitos? Deixe sua opinião.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.