Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Como ficará o Moinho Fluminense após reforma para virar espaço multiuso

Primeira fábrica brasileira de moagem de trigo, no Porto Maravilha, vai ganhar escritórios, bares, restaurantes e espaços para eventos e exposições

Por Paula Autran 3 ago 2022, 13h27

Depois de décadas de “trabalho” e alguns anos de abandono, chegou a hora de o Moinho Fluminense, no Porto Maravilha, dar espaço ao lazer e à cultura. Centenários, seus prédios tiveram a construção autorizada pela Princesa Isabel, no século XIX, e funcionaram como fábrica de moagem de trigo – a primeira do Brasil – até 2013. Agora, suas estruturas e colunas tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) serão transformadas em espaço multiuso, com direito a bares, restaurantes, exposição de artes e um espaço para eventos, além de escritórios.

+ Cidade cenográfica: Rio reassume protagonismo no mercado audiovisual

O primeiro prédio foi levantado por imigrantes italianos. Ele é unido ao outro por uma espécie de ponte fechada. O atual dono comprou o complexo de sete andares em 2019. Mas, devido à pandemia, a conclusão da primeira fase da revitalização está prevista para 2025. Uma das principais apostas para os arquitetos nessa primeira etapa é o espaço para eventos, shows e exibições. A previsão é que parte térrea dos prédios seja aberta à circulação, o que vai formar um corredor do Boulevard Olímpico até a Praça da Harmonia. Outras promessas são a construção de uma praça e de terraços para que turistas possam aproveitar a vista da Providência, dos bairros da Pequena África e da Baía de Guanabara.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Segundo Gustavo Guerrante, presidente da CCPar, em entrevista ao RJ-Tv 1, o Moinho vai virar não só uma referência na cidade, mas também trazer gente do Brasil inteiro. “Esse é o antigo túnel de escoamento da produção e recebimento de insumos que ligava até o porto. Então, tinha um buraco que ligava ao mar direto nos navios. Hoje, está fechado, mas isso é uma do que a gente chama de reminiscências que a gente vai manter no projeto do Moinho”, explicou Carol Bertoldi, gerente de portfólio da empresa que comprou o Moinho Fluminense. A empresa anunciou que, em breve, vai ao ar um tour virtual com todas as informações do Moinho.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 12,90/mês